Visitantes.

sábado, 31 de dezembro de 2011

Adeus 2011.


Bom , hoje é o último dia do ano e não posso ficar sem meu útlimo post não é?
Quantas coisas aconteceram esse ano não é? Como minha vida deu passos para frente e passos para trás. Como esse ano me deu alegrias, sorrisos e tristezas. Como esse ano me trouxe amadurecimento e regressão em várias coisas. Ou não, sei lá. Talvez eu tenha até amadurecido ou talvez eu tenha só regredido, não sei. Entrei o ano prometendo e recebendo promessas e saio aqui, sem as promessas das quais me agarrei. Foram sonhos que realizei, não vou negar. Passei no vestibular e consegui entrar na faculdade. Uffa! Nem parece que foi esse ano que entrei, acredito que eu já esteja nessa fase há muito tempo. Esse ano fiz 1 ano de namoro, comemoração da qual eu nunca havia passado. Esse ano eu vi minha Dulce ... Ow, minha Dulce da qual eu sempre sonhei. Esse ano coloquei aparelho e tirei o vermelho do meu cabelo. Aprendi Espanhol mais do que eu imaginava que pudesse. Esse ano terminei o namoro por causa de um passado que me dá náuseas, mas voltei. Fiquei louca! Esse ano ganhei um melhor amigo que de antes um amigo agora é um dos únicos homens da minha vida. Esse ano contei para meu pai que não me envolvo com homens e enfrentei a sua fúria. Esse ano vi meus amigos crescerem e amadurecerem. Minha irmã mais nova começando a trabalhar e ficando noiva. Estou vendo a menor começando a namorar. Esse ano chorei mais do que ano passado. Talvez tenha sido porque comecei o ano chorando e achando que ela não me amava como eu a amava. Engano meu, agora eu sei que ela também me ama tanto que agora teve que me deixar para não fazernos sofrer mais. Esse ano corri na faculdade para conseguir notas e deixar meu CR alto e eu consegui. Esse ano perdi o medo, ou pelo menos um pouco dele em falar em público. Esse ano fui à igreja, rezei terço. Esse ano eu saí dos 18 anos e aprendi a ver hora em relógio de ponteiro. Esse ano entrei para o curso de inglês. Esse ano deixei o blog de lado e de uma maneira rápida voltei a usá-lo novamente. Esse ano presenciei mais brigas. Esse ano tive brigas feias, desejos incalculáveis e perdões ditos todos os dias. Esse ano disse mais palavras feias e tive vergonha de ser quem eu sou. Esse ano abri mais a mente e percebi que existem preconceitos dos quais eu não posso lutar contra. Esse ano foi legalizado até o casamento gay ... Esse ano briguei menos com meu padrasto. Esse ano ela passou quase um mês inteirinho aqui em casa, como mulher e como amiga. Eu passei quase um mês na casa dela como amiga e como esposa. Esse ano passei a virada com ela e o próximo não a terei comigo. É, talvez esse ano tenha me ensinado muitas coisas, importantes ou não, pode a vida ter me ensinado. Ê vida! Aprendi a ganhar o amor e a perdê-lo entre minhas mãos. Tive recompensas mas tive decepções. Hoje, passarei o ano com esperanças. Não sei o que vem pela frente, espero que não seja o ano do fim do mundo mesmo, ainda tenho muitas coisas a fazer antes que o mundo acabe. Não sei o que! Não sei. Falando a verdade, eu ainda não parei para pensar em como vai ser meu ano, quais vão ser os meus objetivos e para o quê vou lutar. Quero lutar pelo meu amor, quero lutar pelos meus sonhos, isso eu sei. O resto não, o resto eu não sei. Não sei o que desejar. Amor, paz, fé (?) Talvez ... Espero não me sentir vazia. Queria ao menos começar o ano com um abraço ... mas nem isso vou ter. Queria começar o ano sendo menos sensível, mas de verdade, eu não serei. Não serei menos grudenta, nem menos emo, nem menos sensível, nem menos nada. Serei eu, só eu. Esse ano me assustei com coisas que eu fiz, esse ano tive menos fé ... Esse ano tive mais medo.
Hoje, te digo Adeus 2011, como eu faço sempre que o ano acaba. Hoje, te deixo em meu passado, guardado em mim. É triste, tão triste deixar você, mas me vou. Espero mesmo que o mundo não acabe agora ... Preciso resolver coisas pendentes que o destino deixou atrapalhadas e perdidas no caminho. Não vou pedir força porque não quero usá-la, não quero que as coisas sejam tão difíceis assim, mesmo com o sentimento alegre que tenho em me superar. Pretendo não ter tanto medo assim e conseguir superar muitas coisas. Pretendo não chorar tanto mesmo sabendo que vou chorar sempre, toda vez. Caramba! Não vou mudar tanto assim ... Espero apenas que eu consiga ter fé e compreensão. Menos medo, menos ciúmes, menos algumas coisas que eu ainda nem sei. Eu espero que esse novo ano traga mais segurança e mais realizações. Não sei ainda das promessas que vou fazer para esse fim de ano, sei que eu queria tê-la comigo hoje ... mas eu não vou.
Meu amor ... o que eu posso desejar para você? Queria é estar junto de ti para dizer tudo o que eu pretendia, mesmo voltando ou não, precisava agradecer por tudo o que você me deu esse ano, desde aquele primeiro dia em que eu prometi fazer dessa ano o nosso ano, só nosso. Desde o primeiro dia de 2011 em que eu disse que estava me entregando completamente para você. Agradecer por todos os momentos em que eu pude dormir e acordar do teu lado. Agradecer por todos os sorrisos e por todas as lágrimas que me fizeram amadurecer ainda mais. Agradecer pelos olhares, pelos beijos, pelos desejos e pela compreensão em conseguir ficar comigo mesmo com todos esses meus defeitos que você odeia. Agradecer por você ter me feito feliz esse tempo todo ... Hoje, eu espero que amanhã comece uma nova vida para nós duas, que tudo fique para trás e algo novo venha nos enlaçar novamente. Que esqueçamos essas brigas e essas palavras que nos magoaram porque nesse ano eu não pretendo perder você de novo. Que não esqueçamos esses momentos que nos fizeram amadurecer , mas que sejam lembranças de um passado que não virá a acontecer. Eu quero ser feliz contigo e eu quero você do meu lado, seja como for. Então, que esse novo ano traga planos e mais sonhos. Que esse ano que vai leve consigo toda essa insegurança e esse medo que nos fizeram deixar uma a outra. Que esse ano que venha traga nosso amor junto da nossa paixão novamente. Enfim, que esse ano que chega traga em nossos olhos a esperança de que tudo vai ficar bem. Esse ano não vou ter o seu abraço quando der meia noite e não vou ter você para chorar comigo dizendo que tudo vai ficar bem, mas ficarei aqui tendo a esperança de que vai acontecer e eu você. Por isso, Feliz ano novo meu amor, aí da onde você vai estar, eu estarei aqui pensando em você.

Ficou meio grandinho o post, afinal é o último do ano. Mas quero desejar tudo de bom para todos e todos os leitores. Muita muita paz, esperança e que esse universo sempre conspire a nosso favor.
E meu amor, eu te amo, para sempre s2

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

-

Como eu gosto do teu sorriso ingênuo e do teu olhar de mulher. Como eu sinto as tuas lágrimas em mim e meu destino no teu.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Talvez ...



Talvez eu nem queira ser como o padrão. Talvez eu nem queria apenas chamar atenção. Talvez eu só queira amar livremente. Talvez eu só queira lhe dar as mãos. Talvez eu só queira entendimento. Talvez eu só queira perdão. Talvez eu só queira que me entendam, sem preconceito com união. Talvez eu só queira caminhar sendo eu mesma. Talvez eu só queira ...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Naquela noite.

Eram duas amantes incontroláveis pelo desejo que transbordava o quarto. Nos minutos atrás as brigas ásperas contornando o amor e o silêncio arrancado em súbitos gritos por olhares desesperados. No presente a luz do dia amanhecendo cortava as frestas da janela com a escuridão das paredes negras do quarto. Uma das mãos encontrava a outra pedindo pelo desejo de se juntar ao par daquela que estava ao seu lado. Os corpos gritavam mas ninguém os ouvia. As horas passavam e o ponteiro do relógio ecoava entre as paredes fazendo com que percebessem que ia acabar ... para sempre, ou para um quase sempre. Talvez a força do universo tenha unido aqueles corpos ou talvez o desejo inacabado tenha sido mais forte do que a tristeza que rondava aqueles olhos. Naqueles olhos brilhavam amor, paixão, medo e indecisão. Naqueles olhos brilhavam desejos tão ocultos que nenhuma das duas podia se quer, perceber. Porém, acredito na força do pensamento e que o universo conspire. As mãos acariciavam o rosto da outra como da primeira vez e os corpos impulsionados se encontravam e se permitiam encontrar um ao outro. A respiração tão lenta encostava na outra durante o passar dos minutos e os lábios tão trémulos encontravam o espaço por onde a respiração vinha mais ofegante ... desesperada. E o adeus se transformou em até logo no momento em que os lábios se entrelaçavam e as lágrimas se cruzavam entre dor, amor, medo, indecisão... novamente. Os corpos gritavam e se transformavam em um. O beijo se transformava como nos de antes em que não havia drogas, cigarros, solidão, medo, pavor. O cheiro suave do perfume, o gosto doce da boca, o toque trémulo das mãos, o suor dos corpos, a magnitude das almas, o acalentar dos braços. Aquela noite o amor estava entre as duas ... Naquela noite tudo estava errado, tudo estava certo, tudo estava como sempre deveria estar.

Eu e você.

Não me possua em altitudes médias porque não gosto nenhum pouco de voar pela metade. Não me leve entre as grades da esperança porque não quero nenhum pouco viver de saudades cortadas. Não quero nenhum pouco apenas a metade de mim. Foram brigas simultâneas, verdades infundadas e gritos pavorosos. Foram machucados dentro e fora, foram choros desesperados e repulsas enganadas. Foram adeus ditos, silêncios cortados, dizeres acabados. Foram pensamentos enganados, desejos implorados, perdões entardecidos. Foram beijos trocados e paixões transbordadas. Foram corações desesperados e almas entrelaçadas. Apenas eu e você.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Mas eu ainda te amo.

Mi luna.

Esta noche iré contigo a mi luna. Esta noche estarás en mi piel por siempre. Te quiero, solo tu para quedarme aquí. Quiero mi corazón contigo, mi alma cerca de ti y tu color en mis ojos. Solo tu, quiero solo tu para mi cuerpo volar por el mundo. Para mi vida cambiar y vivir a tu lado. En tu cielo solo, en tu brillo amargo y alegre. Quiero que me lleves en tus recuerdos. Por siempre ... cerca de ti, solo ti. Para buscarme entre tu eternidad, en su camino, en su vida tan cerca de la gente pero tan sola de amor. Mi fe se fué pero mi corazón te lo doy. No quiero recordar a mi luna, no quiero quedarme aqui perdida. Llevame contigo ahora.

Leve-me minha lua.


Não vejo cores distantintas ou normais, ou coloridas ou amareladas. Vivo em sonhos, em pesadelos, em corrida com o destino que insiste em desviar meu caminho. Senhor, vivo em pesadelos diários agora. Não quero amor ... não mais amor. Nada mais de amor. Quero solidão diária, cigarros meio usados e vinhos empilharados em meu sangue. Não quero inocência nem criar asas. Quero outro cigarro! Quero outro espelho. Quero outras palavras de silêncio que me dirão o que fazer. Não quero mais braços, nem abraços. Não quero mais dor nem esperança nem restos de mim. Fui ... não quero ser mais. Que seja frio, que seja apenas sendo ... Você, minha grande lua pequena, não quero que me deixe nunca, se puder, leve-me contigo. Leve-me contigo entre o espeço decaído, entre o céu negro espalmado, entre sua solidão. Leve-me para as montanhas, para o preto e branco, para o verde desbotado. Leve-me para longe daqui ... para mais longe de mim. Leve-me para longe de mim, eu lhe imploro agora.

...

Que nada ... o amor nunca foi meu.

domingo, 18 de dezembro de 2011

[...]

Dentre toda essa dor de distância existe algo que ainda diz que nada disso é em vão.

Pesadelo!

Hoje não acordei muito bem, acho que fiquei presa em alguns pesadelos. Contudo, as horas não passam e não consigo acordar de verdade. Não sei se ainda estou dormindo [...] O céu está feio. As folhas das árvores continuam paradas. Não há sol nem entrelas, não há dia nem noite. Ouço o relógio do meu pulso pulsando com meu sangue. Ouço a chuva cair mesmo não estando chovendo. Talvez sejam lágrimas involuntárias que adoram me provocar. Como gostam de me provocar. Talvez sejam essas palavras em que estou me aterrorizando. Talvez naquelas palavras ditas que me matam todos os dias, dia após dia, minuto após minuto. Talvez seja a falta do teu abraço que nem sempre podia me dar ou a tua mão que nem sempre podia pegar. Talvez seja a dor de cada gesto pequeno teu que acaba comigo pouco a pouco ... Talvez seja esse amor tão grande que sei que você sente por mim (...) Talvez seja a fraqueza que fez com que nosso amor fosse menor do que a coragem. Talvez seja toda essa dor. Toda essa dor. Toda essa dor. Ou quem sabe a angústia de perceber estar te perdendo para sempre. Acordei com esse sentimento, talvez seja porque dormi com ele ontem. Comigo, com você. O que está acontecendo? Nem me reconheço mais. Nem te reconheço mais.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Sem título.

Estou vendo você ir embora a cada segundo. Estou vendo teus pés caminhando em sentido contrário ao meu. Estou vento teu destino longe ... longe. Acredito que meus pés não encontrem mais o chão e que meus olhos não vejam mais você. Menina, eu não queria que fosse embora mas você se foi. Criou asas e foi voar por algum lugar no qual nem sei o nome. Você foi e eu fiquei aqui. Minhas asas estão cortadas mas meus pés voam pelo universo procurando, buscando, criando expectativas que volte. E você? Você volta? Será que volta mesmo? Meus joelhos quebram ajoelhados em reza e em oração desesperada, mas não tenho fé. Meu coração chora de dor desesperado de amor, mas não tenho você. Estou perdida? Ou me achei? Não quero horas de relógio atrasado nem ponteiro agudo de um futuro mal acabado. Queria o tempo parado num segundo instantâneo preso em ti. Meu eu, meu sou, meu fui agarrado em teu ser. Minhas lágrimas penduradas e cristalizadas numa face que foi sua ... é, eu sempre fui tua. Me perdi entre teu corpo e teu cheiro que não lembro mais do meu e agora sinto teu adeus tão perto do até logo que fico desesperada entre medo e pavor. Fico perdida entre ilusão e realidade. Fico perdida entre mim e tão longe [...] você. Expectativas frustradas e sonhos quebrados fazem parte da minha rotina que segue entre loucuras e devaneios. Sigo entre pedras e tropeços, mas sei que a vida nos faz levantar de quedas. Será então que a vida nos faz levantar da morte? Nem sei que morte é. Nem sei que eu sou. Deus, não queria acreditar no amor. Queria acreditar na fé e não acreditar no amor e queria muito que fosse possível. Queria tantas coisas [...] Queria até voltar no dia em que te conheci, mas de verdade, não sei se mudaria alguma coisa. Estou confusa! Queria apenas não levantar por hoje e amanhã. Queria apenas a lua. Lua! Lua! Me ajude por favor. Estou desesperada. Minha amiga! Me ajude por favor, sei que você nunca vai me deixar. Queria me afundar em mim para esquecer você, mas que problema porque dentro de mim só existe você. Desculpe, não que seja problema existir só você aqui dentro, mas me perdi e me perco, não consigo mais me encontrar. Continuo desesperada mas acho que você não entende o desespero e sua decepção decepciona todo meus sentimentos que estão aqui sofrendo por você. Desculpe, mas você também não entende o quanto eu sofro todos os dias por ter deixado você ir embora.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Nossa história de amor.

http://www.youtube.com/watch?v=lQ95EoHbk9k&list=UUlT-xaf3VBZ0uLahRAt1eOA&feature=plcp

Nossa história está marcada em mim, mesmo que eu não te tenha mais.

Leve-me.

Senti a sua voz tão dentro de mim que lamentei milhares de vezes pelo que está acontecendo. Não sei a que se confunde a toda essa dor. O teto me engoliu e o chão me cuspiu. Me levou para longe, longe ... não quero que a noite chegue. Não quero ver a lua esta noite pois chorarei por você. Não quero olhar o céu esta noite pois morrerei por você. Não quero me olhar no espelho esta noite pois enchergarei você. Estou indo ... estou indo, vento. Estou indo, tempo. Estou indo, vida. Voltei, morte. Não quero ficar sozinha comigo. Leve-me!

domingo, 11 de dezembro de 2011

A luz que acende o olhar.

"A luz que acende o olhar vem das estrelas no meu coração, vem de uma força que me fez assim, vem das palavras, lembranças e flores regadas em mim. O tempo pode mudar, a chuva lava o que já passou, resta somente o que eu já vivi, resta somente o que ainda sou. A luz que acende o olhar, vem pelos cantos da imaginação, vem por caminhos que eu nunca passei, como se a vida soubesse de sonhos que eu nunca sonhei. Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho da alma, dos filhos da gente, de algum lugar só pra iluminar. A força vem de onde eu venho, de tudo que acende e a vida calada, me olha, e entende o que eu sou, tudo o que é maior vem do amor, vem do amor. A luz que acende o olhar, vem dos romances que viram poesia, vem quando quer, se quiser, se vier, vem pra acender e mostrar o amor que a gente não via. Vem como um passe de pura magia, como se eu visse e jurasse que há tempo já te conhecia. Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho da alma, dos filhos da gente, de algum lugar, só pra iluminar A força vem de onde eu venho, de tudo que acende e a vida calada me olha e entende o que eu sou. Tudo que é maior. Vem da luz que acende o olhar, vem das histórias que me adormeciam, vem do que a gente não consegue ver, vem e me acalma, me traz e me leva pra perto de você. E me leva mais pra perto de você."

Deborah Blando

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Sei que te amo.

Eu sei que te amo porque quando estou com você o mundo lá fora não existe. Sei que te amo porque quando estou do teu lado me amparo em sorrisos. Sei que te amo porque meu corpo treme ao te encostar. Sei que te amo porque não consigo parar de te olhar. Sei que te amo porque tenho ciúme quando te olham. Sei que te amo porque te ver sorrir ilumina os meus olhos. Sei que te amo porque meu coração acelera quando sinto teu cheiro. Sei que te amo porque fico em desespero. Sei que te amo porque dói não poder lhe dar a mão, ainda mais quando está longe do meu corpo, assim, mesmo tão perto. Sei que te amo porque perco o ar e fico horas e horas te olhando sem cansar. Sei que te amo porque dói não te ter. Sei que você é minha vida quando aqui me vejo morta sem poder ter você.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

+



Posso gritar?

Vá.

Não chore ... me dê as suas lágrimas. Sorria ... eu lhe entrego o meu sorriso. Viva ... eu lhe entrego a minha vida. Não sofra ... me dê teu sofrimento. Seja feliz ... lhe dou a minha felicidade. Vá! Meu amor te acompanha para sempre. Volte! Volte! Volte um dia!

Amor ...


Eu não sei mais o que pensar, em que agir, o que fazer. Não sei de mais nada. Sabe, eu implorei para que todas as forças que existem te tragam de volta para mim, e não adianta. Nossa! Ninguém sabe como eu me sinto agora. Dói tanto e não adianta só chorar. Aonde está a minha cabeça agora? Dói, machuca meu corpo que anda tão estremecido. Estou estremecida! Você acredita nisso? Eu posso sorrir, mas aqui, ninguém sabe o que vou sentir. Você sabe, não sabe? Queria que você voltasse, que segurasse a minha mão, que me chamasse de sua namorada. Mas você não pode, a vida não deixa. Queria que você sorrisse, que você vivesse. Queria você aqui! MEU DEUS! Eu queria você de volta. O que eu faço? Estou tão perdida ... sozinha. Descontrolada, louca. Já disse que queria gritar! Queria buscar você em casa e te levar para nossa e começar tudo de novo e ser feliz e ser forte e ser sua mulher. Nossa! Não tenho mais respiração, está contigo ... Não sei o que as horas fazem comigo, o que o tempo me leva, o que o vento toma de mim. Sei que não estou aguentando, que não estou conseguindo assim e sei que você também não está. Não queria que fosse assim e nem quero te perder para sempre. NÃO QUERO! Não vou deixar essa fraqueza levar o amor da minha vida para longe. O amor que conquistei com a minha vida, com a minha alma. O amor que eu levei comigo e levo todos os dias, as horas ... Não quero te deixar livre apenas por me sentir culpada. Preciso te deixar livre para que você volte livre ... feliz. EU PRECISO! Mas eu queria pegar na sua mão e tentar enfrentar isso ao seu lado. Ninguém sabe o quanto eu quero isso. Ninguém sabe! Me sinto tão morta ... tão fora de mim. Queria tanto você do meu lado. Queria tanto imaginar agora como será o próximo ano tendo você junto a mim. Queria tantas coisas, mas me tiraram você. Deus, talvez. O destino, quem sabe. Não sei, não sei mais de nada. Sei que quero você. Nossa! São as palavras mais fortes que eu posso te dizer: Eu te amo! Volta logo ... mas você foi embora. Mas eu ainda te amo. Mas eu ainda quero que você volte. Por favor, por favor. O que está acontecendo? O que? Eu nunca senti isso meu amor, nunca.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Estúpida.

Eu não queria me mostrar fraca. Queria ser forte. Não queria gritar, mas eu quero e não consigo. Não confio mais na vida. Não confio mais em mim. Não sei se posso confiar no amor. Estúpida liberdade. Estúpidos escritos. Estúpida vida. Estúpida-eu. Não sou forte, sou fraca. Pensei que pudesse ser a força para aguentar você e eu, mas não consigo mais. Eu não aguento mais não ser confiável. Queria que acreditasse em mim porque eu girei o mundo para tentar te fazer feliz, mas não fiz. Estúpida-eu. Não consegui, fui fracasso e nem lhe peço perdão. Não adiantaria porque agora não adianta mais. Estúpidas palavras essas que eu escrevo, mas nunca, nunca, foram para que eu aparecesse de alguma forma. Só queria ser livre de mim, um pouco. Queria amar demais mas fui egoísta demais. Estúpida, fraca, covarde! Te tirei a vida para dar a mim e percebo que é a sua hora de ser feliz sem mim. Eu nunca quis dizer adeus ... eu estou enlouquecendo, de verdade.

sábado, 3 de dezembro de 2011

(...)

Suas palavras me machucam ... me matam! Me perdoe, mas eu não sou tão forte assim.

Palavras.

Palavras de adeus doem mais que qualquer facada. Angústia, dor, medo, distância ... O que eu posso dizer agora depois de ter trancado a porta? Depois de ter trancado minha boca, minha voz ... meu sorriso. Estou tão aflita que não consigo abrir meus olhos. Não! Por favor, não faça isso comigo. Não posso mais sentir o sabor do meu sangue, dos meus pavores que seguro entre os dedos. Do teu retrato que não some do meu rosto. Não quero viver apenas de retratos ... Não posso gritar hoje. Que palavras são essas, meu deus? Não aguento, não aguento.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

-

Meu coração está apertado. Angustiado!
Meu deus, o que eu faço agora?

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Universo.


Estou acreditanto na força que o amor tem. Nas conexões com o destino, na linha da vida que o tempo costura em torno dessa paixão. Nas forças das estrelas e na benção que a lua sempre nos deu. Acredito na esperança, nos sonhos que teci, nos caminhos que trilhei. Acredito que o universo esteja conspirando. Acredito que o seu amor seja forte o suficiente para passar por cima dos sentimentos ruins e dos fantasmas que te assombram. Acredito no meu amor, naquele todo que eu sinto por você.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Noviembre sin ti.

La tarde se aleja, el cielo esta gris, la noche aparece sin ti. Callado en la playa,
te lloro en silencio otra vez. Me ahoga esta pena, no puedo vivir, las olas no me hablan de ti. Sentado en la arena, escribo tu nombre otra vez. Por que te extraño, desde aquel noviembre, cuando soñamos juntos a querernos siempre. Me duele, este frío noviembre, cuando las hojas caen a morir por siempre. Noviembre sin ti es sentir que la lluvia, me dice llorando que todo acabo. Noviembre sin ti es pedirle a la luna, que brille en la noche de mi corazón. Otra vez. Otra vez. Quisiera decirte que quiero volver, tu nombre va escrito en mi piel. Ya es de madrugada, te sigo esperando otra vez. Por que te extraño, desde aquel noviembre, cuando soñamos juntos a querernos siempre. Me duele, este frío noviembre, cuando las hojas caen a morir por siempre. Noviembre sin ti, es sentir que la lluvia me dice llorando que todo acabo. Noviembre sin ti, es pedirle a la luna, que brille en la noche de mi corazón. Otra vez
Otra vez.

(Reik)

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

(...)



Não quero me manter lúcida agora. Dê-me um cigarro. Uma droga. Outro pesadelo. Dê-me covardia, desespero, lágrimas. Estou sentindo não haver mais razões, apenas isso.

Voe, meu amor.

Me perdoe. Me perdoe mil vezes pois eu lhe perdirei perdão todas as vezes que eu lhe encontrar. Me perdoe por eu ter feito você sofrer em todas as nossas brigas. Me perdoe por eu não ter conseguido levar isso tudo bem. Porém, chegou a hora de me livrar de toda a alma egoísta que eu vim trazendo ao longo desse tempo todo. É a decisão mais difícil que eu já tomei em toda a minha vida, toda, acredite. Hoje, preciso te deixar livre para voar pelo mundo, mesmo que doa demais em mim. É a minha prova de amor; Todo esse amor que eu sinto dentro de mim. Eu preciso, infelizmente, te deixar ir e viver sem mim. Me perdoe por isso, mas eu preciso que você volte totalmente feliz e quase completa, para que eu possa completar a parte que falta. Sei que não posso ser toda essa parte, eu sei disso. Você foi o melhor presente que eu podia ter ganhado ao longo da minha vida. Você foi a menina que me fez mudar, amadurecer, ser feliz. Você me fez feliz até o último momento e tenho certeza que me fará feliz quando nossos caminhos decidirem se encontrar novamente. Eu choro, vou chorar. Me desespero, peço a Deus e a todas as forças para que você se sinta feliz o suficiente para voltar. Sei que todos os nossos sonhos não podem morrer, sei que nossas vitórias continuarão aqui para acrescentar no nosso futuro a felicidade. Você sempre será inesquecível para mim, mas eu não quero te dizer ADEUS. Eu nunca te direi Adeus. Sei também que nunca ninguém me amará como você me amou e sei que me ama. Por isso, meu anjo, voe. VOE! Mas volte porque eu te amo. Está sendo difícil toda essa angústia, todo esse medo, toda essa fraqueza, porém, preciso que você se sinta bem com você mesma. Vou sentir falta da sua voz doce, do brilho dos teus olhos, do toque da tua mão e do calor da tua pele. Ficarei com a nossa lua pois ela sempre nos abençoo e eu sei que vai ser ela quem vai juntar novamente nossos caminhos. Nunca se sinta só, você sempre terá a mim. Meu coração é seu, minha alma e meu sorriso. Viva! Voe! Volte! Vai ser difícil e eu te dou a minha palavra de que sempre estarei aqui. Traga meu coração um dia de volta, traga também nossos sonhos- realidade. Enfim, eu te amo muito. Não te amo normalmente, eu te amo MUITO! Talvez ninguém seja capaz de imaginar, mas é algo surpreendente e mesmo que seja dificíl como está sendo, te empresto para a vida. Porém, por favor, volte.
Eu te amo.

domingo, 27 de novembro de 2011

27.

Minha história com a sua não acaba aqui. Eu vou estar de braços abertos para que você se sinta completa o suficiente para começar de novo se quiser voltar um dia. Vou deixar você livre para voar pelo mundo, mas quando precisar de mim, venha sorrindo ou chorando, estarei aqui. Eu te amo!

sábado, 26 de novembro de 2011

Embriaguem-se.

É preciso estar sempre embriagado. Aí está: eis a única questão. Para não sentirem o fardo horrível do Tempo que verga e inclina para a terra, é preciso que se embriaguem sem descanso.

Com quê? Com vinho, poesia ou virtude, a escolher. Mas embriaguem-se.

E se, porventura, nos degraus de um palácio, sobre a relva verde de um fosso, na solidão morna do quarto, a embriaguez diminuir ou desaparecer quando você acordar, pergunte ao vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a tudo que canta, a tudo que fala, pergunte que horas são; e o vento, a vaga, a estrela, o pássaro, o relógio responderão: "É hora de embriagar-se! Para não serem os escravos martirizados do Tempo, embriaguem-se; embriaguem-se sem descanso". Com vinho, poesia ou virtude, a escolher.

(Charles Baudelaire)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Que vergonha!

Estou me sentindo muito mal. Não sei bem explicar, mas é mal comigo mesma. Hoje, depois de fazer uma prova daquelas com resposta de 4 folhas, cheguei em casa cansada. Pesquisei algumas coisas aqui e fiquei com vergonha de seguir o blog de algumas pessoas. Vergonha? Estou me sentindo péssima. Odeio sentir vergonha. O pior, estou sentindo vergonha de mim.
Já fazem anos que eu não escondo o que eu sou, quem eu amo, o que eu acredito sobre o amor e todas essas coisas, mas percebi que as vezes é bem difícil isso tudo. Vejo que, infelizmente, ainda não estou completamente pronta para encarar o mundo. Encarar a vida. Eu estava me sentindo demais, achando que eu pudesse controlar todas essas ideias preconceituosas que rodam em torno de mim. Bom, pelo menos eu nunca sofri nenhum tipo de preconceito forte.
Esses dias ao entrar no ônibus, o motorista dizia que essa "raça" tinha que sumir. Nossa! Eu queria falar alguma coisa, mas não tive coragem. Não posso tentar sozinha. Sou fraca! Agora mesmo, estou vendo que sou mais fraca ainda. Posso falar que já pensei em desistir. Já pensei até em fingir que sou diferente do que eu sou. Ora, sou mesmo diferente. Sou diferente do que imaginavam que eu fosse. Sou diferente até mesmo do que eu achava que eu fosse. Nossa, sou diferente de mim. Preferi viver em choque com a solidão, viver á margem da ilusão. Já preferi fechar os olhos para que eles não fossem capazes de ver a realidade. É uma realidade que não pertence a mim. E agora? Eu tenho vergonha disso tudo? Me sinto fora de tudo o que eu construí até hoje. Marginalizada. Sim! Pelo meu próprio ego, pela minha própria insegurança.

Nunca escondi que minha fé foi embora ... talvez por achar que não pudesse ser aceita. Na verdade, nunca fui. Talvez seja esse meu medo agora, não ser aceita. Preconceito comigo mesma, estou vendo que eu estou começando o pré-conceito, exatamente. Saber que posso não ser aceita por ser o que eu sou me tira de todos os planos e verdades que eu acreditei existir em mim. Estou sendo covarde como sempre fui. Pior, estou sendo covarde com a minha covardia. Já pedi a Deus para que eu fosse diferente do que eu sou hoje. Descobri que não posso deixar de ser, porque sou eu, se não fosse como sou, deixaria de ser eu. Que coisa estranha ... e eu ainda sinto vergonha de mim. Não posso nem admitir que não tenho fé - fé de fé, de acreditar, de adorar. Também tenho vergonha de não conseguir. Peço desculpas, eu queria, mas não consigo. NÃO! Eu queria muito conseguir rezar todas as noites pedindo a Deus perdão por tudo e força para seguir minha vida. Queria ir á igreja todos os domingos. Para falar a verdade, queria conseguir almoçar com a minha família como família, mas não me sinto parte daqui. Nem me sinto mais parte de mim. Que horror ... sinto vergonha de mim.

Hoje em dia estou sofrendo por amor. Todo mundo sabe disso, pelo menos os que convivem comigo. Eu bem que podia sair daqui e ir até a casa dela para pedir que volte comigo. Não chegou a hora ainda, eu tenho consciência disso. Podia até mesmo dizer que eu a amo como mulher, mas não tenho coragem. Estou vendo ainda mais que ando sem coragem de nada. NADA! Por isso que escrever me salva. As vezes sim, as vezes não. Eu queria mesmo escrever bem, como aqueles poetas e escritores. Talvez eu nem queira assim. Eles viveram tanto com a solidão, com a dor. Engraçado, eu vivo ultimamente mais com a solidão do que comigo, e mesmo assim, não consigo escrever como devia. Não sei colocar vírgulas no lugar, se separo sujeitos de predicado, se coloco acento errado ou se mesmo erro na ortografia. Isso, acreditem, é péssimo para alguém que faz graduação em Língua Portuguesa. Sinceramente, não quero me importar com isso, também sinto vergonha. Eu só queria escrever o que eu sou, mas escrever porque se também tenho vergonha? Escrevo o que eu sinto, apenas. Desde pequena, achei até um texto que eu fiz com 10 anos, ficou lindo, melhor do que os que eu escrevo aqui. Era puro, com erros enormes e grotescos, mas com um sentimento que eu queria ainda sentir. Eu não sentia vergonha de mim, do que eu era. Só sentia depois que eu fui perceber que eu era uma menina gordinha, nerd e cheia de espinhas na cara. Depois que eu descobri que achava as meninas bonitas demais, passei a ser diferente para mim. E hoje, depois de passar por tudo o que passei, sinto vergonha de mim. Novamente, vergonha! Como sou covarde.

Já disse que queria fé. Talvez eu mesma tenha preconceito de mim. Que estranho, eu que tanto me aceitei e com orgulho digo o que sou, agora não sei. Não sei se posso dizer, caminhar. Talvez seja a falta de alguém para seguir do meu lado. Talvez eu precise, seja fraca o suficiente. Precise não só da solidão. Talvez eu esteja rastejando entre minha vergonha. Esteja nua. Esteja morna, esteja em meio. Um meio que não seja eu inteira. Ainda estou com vergonha de mostrar meu blog. Talvez não seja só por eu ser diferente, mas por não escrever tão bem assim. Por ser sensível demais, falsa, mentirosa, frouxa, covarde, só. Talvez por eu odiar a mentira e ter vergonha de dizer a verdade. De sorrir e esconder meus olhos, de mostrar que eu sou tão fraca assim.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Corpo.

Minhas mãos tão trêmulas. Consegue segurá-las? Mãos tão fracas. Mãos medrosas, pálidas, cruéis. Dependente do desejo, da droga, do espelho, do nunca. Mãos vazias, entrelaçadas, criadas, escravas. Pode vê-las? Não pertencem mais a mim. E meus olhos? Vês? Não vejo absolutamente nada. Vejo apenas meus gritos, não ouço. Grito sem voz, sem ar, sem sopro. Entre meio e fim, entre vida e morte, entre luz e escuro, me permiti viver sozinha. Queres rir? Todos podem rir! E agora, restou dor, apenas. Não posso enganá-la, nem enganar a mim. Não posso lhe ver. Tomo lágrimas, bebo tanto sangue. Sangue de mim e de meus pesadelos. Me alimento de silêncio, me alimento de angústia. Chuva, chuva, nada de sol. Nuvens pretas misturadas com o último vibrar de meus olhos. O vento me beija, me carrega, me leva para longe, num lugar onde eu não vou mais te encontrar. Por favor, deixe-me viver de ilusões, não quero a razão de que não terei mais você junto a mim. Não quero dizer Adeus, pois estaria dizendo Adeus a mim.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Palpite.


To com saudade de você
Debaixo do meu cobertor
De te arrancar suspiros
Fazer amor.
To com saudade de você
Na varanda em noite quente
E do arrepio frio que dá na gente
Truque do desejo,
Guardo na boca o gosto do beijo

Eu sinto a falta de você
Me sinto só

E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta
É triste.
E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite.

To com saudade de você
Do nosso banho de chuva,
Do calor na minha pele
Da língua tua.
To com saudade de você
Censurando o meu vestido,
As juras de amor ao pé do ouvido,
Truque do desejo,
Guardo na boca o gosto do beijo.

Eu sinto a falta de você,
Me sinto só

E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta,
É triste.
E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite.

Eu sinto a falta de você,
Me sinto só

E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta,
É triste.
E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite.

E aí, será que você volta,
Tudo à minha volta,
É triste.
E aí, o amor pode acontecer,
De novo pra você,
Palpite.
( Vanessa Rangel )

É, talvez você lembre de TUDO dessa letra. Estou com saudade da tua voz, do teu beijo e de todos os dias em que eu dormia e acordava ao teu lado como tua mulher.

Saudade

Eu sempre soube que a saudade devia ser um sentimento insuportável. Sempre soube que essa própria saudade fosse algo angustiante que me deixasse caída. Só não imaginava que essa saudade de você acabaria com minha vida, tiraria todo meu sorriso e apagaria todo o brilho que talvez existisse em meus olhos (...)

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

-

" O céu caiu, sem estrelas, sem Deus. "

( Ana C.)

Sombrios fantasmas.

Escuto as vozes, o ar, a poeira. Trago em meus olhos a sombra de um luar. A sombra de um sorriso estranho. Sorriso qual não faz parte dos sons autocriados em mim. Num orvalho decaído, num verso invisível, num destino sem caminho. Encontro. Vejo a mim. Em grandes gotas cristalinas vejo petrificado e todo o meu sangue, e todo meu mundo cristalizado. Nunca ninguém os viu, mas vi físicos, corpo e alma, aterrorizando minha mente. Vista quase em uma tristeza isolada dona do mundo, meus fantasmas. Frios abraços entre cinzas em contorno, já não posso ver os ponteiros do relógio, nesse contorno, friamente divinal. O domínio sobre todo desfolhar das flores feitas do néctar que preciso supor voltar a sentir. Porém, desatou-se , tão fantasmas que na fantasia tomaram a realidade trazida de mim. Carentes de luz roubaste o brilho da lua, pavorosa dominadora de minha carne sombria vazia, vazia sombria. Deixei revelar meu corpo, anestesiado pelas fantasias puxadas pelo resto de sorriso sombrio jogado ao mar.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Desculpe ...

Andei em passos lentos ao teu lado para que você não percebesse que eu estava morrendo de vontade de te abraçar. Tentei esconder meu choro, mas você sabe que não controlo as minhas lágrimas. Sabe também que chego a ser insuportável. Tentei te fazer sorrir mas sou inútil demais a ponto de te fazer feliz de novo. Desculpe. Engraçado, eu te peço tantas desculpas que até esqueci de pedir perdão por te amar tanto a ponto de não conseguir viver sem você. A ponto de não conseguir deixar voce seguir a sua vida. A ponto de querer te privar de coisas que você ainda precisa conhecer. Virei sombra, não me encontrei mais ali. Sombra, apenas sombra. Mas eu te amo, eu te amo muito, meu deus! Estou desesperada ...

Diário.

Estou carregando minha saudade entre as páginas em branco do meu diário. Ferindo o papel de tinta preta e branca, rasgando, torturando a superfície que antes, tão clara eu achava em cima de mim. Caíram chuva. Caíram lágrimas. Caíram sangue. Feri o papel com o sopro de palavras, com cada espírito desalinhado que a saudade traz para dentro. Dentro do que antes, era eu. Carrego em minhas roupas o teu perfume, entre pequenos pedaços de crueldade, entrego a mim ao suave veneno que tomo, a suave transparência da ferida. Levo a saudade entre minhas mãos e escrevo em cada passagem teu retorno com o que restou da tinta do meu sangue. É verdade, sou uma mentira entre esse vômito de palavras exageradas e simples. Guardei em minha gaveta a esperança que imaginavelmente surgia entre minha consciência, para levar a saudade em meu corpo, a lembrança da alma que circulava ao meu lado. Levo o olhar da lua entre meus punhos, entre cada facada que fere, corta e mastiga. Carrego você no diário da minha vida.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Tempo.

O tempo vai passando e eu não sei aonde vamos chegar. Não sei nem da onde eu parti e nem da onde eu vou seguir. Não aguento mais pesadelos e pavores diários. Estou caindo, caindo! Espero que volte logo dessa viagem que fez dentro de você, pois eu estou aqui, esperando brilhar do teu lado.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

-



Meu coração ficou contigo.

domingo, 13 de novembro de 2011

Esperança.


Hoje eu acordei com um sentimento tão forte de esperança que nem parece ser eu. Talvez o universo esteja conspirando para que eu consiga seguir em frente. Quem sabe eu não consiga?

sábado, 12 de novembro de 2011

Você voltou, solidão.


Estive com saudade de andar por aqui. Pensei nunca mais precisar de você.Pensei nunca mais ser capaz de ouvir seus gritos de terror. Pensei nunca mais ser levada por esse seu gelo e por esse seu frio. Pensei não mais ouvir o silêncio uivante vindo detrás das montanhas, nem observar a bruma vinda do céu negro embaçando a luz da lua. Eu a tinha tão límpida e clara diante de meus olhos. Sim, ela até me abençoava. Abençoava o amor que transbordava aqui dentro. E agora, somos apenas eu e você. Dessa vez voltaste para rir comigo ou para rir de mim? Pois esqueci o que eu sou, pior. Ouvi teus gritos desde o dia em que voltei a andar por aqui. Te vi deitada na areia esperando que eu voltasse para você. Ouvi teu chamado depois de muito, muito tempo. Resolvi voltar. Está feliz? Estou de volta e sou toda sua solidão. Acreditei que tivesse ido embora e se perdido no fundo de meus pesadelos. Vejo no fundo dos teus olhos que sentiu saudade. Eu não senti a tua falta, confesso, mas estou novamente diante de teus pés. Posso chamá-la de minha, novamente? Estou de braços abertos para que me leve contigo. Apenas grite, pois gritarei contigo. Não chore, por favor, deixe que eu chore sozinha. Mas o que seria chorar sozinha solidão? Você é a própria parte do sozinha que estou levando comigo. Como eu estou levando comigo uma parte de mim que me deixa só, se você solidão, é a minha parte só. Mas sei que está comigo, sempre vai estar de agora em diante. Estou sentindo, estou infelizmente percebendo que terei você por mais tempo do que imaginava.

Preciso de um cigarro.

Lenta. Pálida. Assim encontro minha respiração. Encontro até mesmo no espelho, a minha solidão. Crueldade. Tão intensa. Estou novamente de acordo com ela. Se eu chorar, desculpe-me a fraqueza. Se eu sorrir, desculpe-me a falsidade. Se eu gritar, desculpe-me, silêncio. Pois me encontro entre meus vestígios. Me encontro entre minha dor. É só minha, apenas minha. Não quero pesares desalinhados com a linha do destino. Não quero carne perfurada pelo sólido do moinho. Que moinho, Deus? Antes tão longe que nem pudia vê-lo. Agora, está tão perto e corta minha carne. Mistura meu sangue. Jorra gotas de medo. Gotas de medo? Rios de lágrimas de sangue. Nem sei mais quem eu sou, nem sei mais quem eu quero ser. Nem sei mais solidão, se preciso de você. Preciso de cigarro. Preciso de drogas. Preciso de pesares, de silêncio sem demora. Preciso de entradas, nem quero mais saída. Preciso de você, que saiu de minha vida. Não me quero nem mais, não preciso mais de mim. Deixe-me sonhar, sem dormir. Deixe-me morrer, sem mesmo matar a mim.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Abraço.



Talvez eu precise apenas de um abraço. Não qualquer abraço. Talvez precise apenas daquele que me protega do mundo. Só agora. Pelo menos agora.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

-

          O tempo passa, eu continuo aqui. Nos meus lábios deixo teus vestígios para que você os sinta, quando resolver voltar para minha vida.

O que há?

Acordei esta manhã angustiada. Senti que você foi embora e levou meus braços com você; Menina. Ah menina! Ainda te chamo de minha namorada para qualquer pessoa que pergunte. Ainda digo que tenho você, se perguntarem. Sinto vontade de pegar o telefone e ligar para ouvir a sua voz, mas sei que não posso, não devo. Digo não me olhando no espelho. Falando a verdade, nem gosto mais de me olhar nele. Ando sentindo mais frio quando olho em meus olhos. Meu corpo se movimento, mas eles não. Vou e volto todos os dias da faculdade, e me sinto tão mórbida. Eu até sorrio, sim. Mas quando percebo, não sou eu, meu amor. Não consigo, não dá. Já sei de tudo, sei que precisei te deixar ir, mas está difícil, não aguento mais sofrer. O que há, meu amor? O que há?

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Perdoe-me.

O pior de tudo é que estou sentindo, entre pesadelos e entre realidade, que você está conseguindo sobreviver sem mim. Está sorrindo! Perdoe-me, não quero ser injusta, muito menos egoísta achando que não pudesse ser feliz sem mim, mas agora estou vendo que o mundo pode embalá-la novamente. Aquele em que eu tanto tive medo de entregá-la.E agora, estou lentamento percebendo que posso te perder de verdade. Perdoe-me, não quero perceber nada!

domingo, 6 de novembro de 2011

Não!

Sinceramente, não aguento mais. NÃO!

sábado, 5 de novembro de 2011

Pensaria ...

Pensava que o mundo não tivesse forças o suficiente para me afastar de você; Que a vida não fosse injusta o suficiente para tirá-la de mim; Pensei que meu coração fosse forte o suficiente para aguentar; Que minha razão fosse real o suficiente para me mantar lúcida. Pensei que meu futuro combinaria para sempre com o teu; Sim, pensei que o vento nunca fosse levá-la para longe e pensei que nunca viveria sem você;
Mas tenha certeza, esperarei você voltar, esperando que traga novamente, todos meus sonhos para essa realidade.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Medo.

Desculpe. Novamente desculpe. Ou seria perdão? Digo lhe perdão. Não preciso dizer o porquê. É que não sou tão forte assim. Hoje, não estou mais conseguindo. Sou fraca e covarde. Sim, covarde. Não sei quem eu sou, não sei o que posso ser, não sei o que eu fui. Porém, o que eu estou sentindo aqui dentro de mim eu nunca senti em minha vida. Nunca senti isso desde o dia em que me entendo por gente. Não queria sofrer assim. Meu peito dói. Minha cabeça explode junto com meu coração, porém, de dor. Sinto saudades. Pior, sinto mais saudades quando penso que posso ter de sentir saudade para sempre. Eu não sei o que eu faço. Quem eu devo procurar? Que dor é essa? Não consigo parar de chorar. E vão ver! Não quero que vejam. Podia jurar que nunca sentiria isso. Agora pareço ver o resto do mundo. Olha, eles não existiam antes. O que eu faço? Estou arfando. Não estou apenas chorando. É mais que isso. Não quero descobrir o mundo. Voltei a soluçar. Não vejo mais ninguém. Agora sim, descrevo minuciosamente essa dor que sinto aqui dentro de mim. Como isso acontece? Quais são os orgãos, os hormônios, ou quem sabe o quê para fazer com que doa tanto assim? Sinto mais medo agora do que do escuro. Sinto mais medo agora do que da morte. Não quero ouvir essa música, mas não consigo. Agora, passam filmes na minha mente. Eu não aguentarei tanto. É verdade! Não quero que ninguém veja. Me deixe escrever? Não estou me sentindo nada bem.

Lamento, meu amor.

Lamento se não sou tão perfeita para lhe ter; Lamento. Lamento. Queria tanto te fazer apenas sorrir que esqueci; Não existe apenas eu na sua vida. Queria dizer que lhe entrego ao mundo para que ele lhe traga novamente teu sorriso, porém, perdão, as palavras que teria de usar não são as verdadeiras na qual quero falar. Se algo de errado fiz até hoje, tenho tantas explicações; Lamento informar que nenhuma delas pode trazer de volta teu sorriso. Dói saber que o mundo pode te fazer melhor do que eu; Queria gritar para que você ouvisse. Não. Queria mostrar que pensei que só eu seria capaz de te fazer feliz. Errei, errei tanto. Mas eu não posso te deixar ir; Você quer? Pensei que todas as juras de amor; Pensei que te dando minha vida; Pensei que ter um mundo só meu e seu eram suficientes para que fossem eu e você para sempre. O universo nos deu a resposta, e hoje, eu lhe perco entre minhas mãos e sinto você ir embora diante de meus olhos.

Asas de medo.



Agarrada ao travesseiro, choro; Um choro de menina perdida, desesperada. Ao olhar do teto entre a escuridão das paredes que parecem engulir-me,e das trevas da incompriendível solidão. Tinha em mim uma lágrima de medo e uma grande dor. De volta a posição fetal. Um emaranhado de pesadelos entre a luz e o vazio. Senti afogar-me de vez no mar da minha dor e por um instante renunciar minha vida. Perdoe-me jovem alegria. Resta em mim as cinzas cristalizadas de pavor. Deixe-me grande águia, pois já não tenho tamanha fé para defender-me de minhas asas cortadas e perdidas. Deixe-me com o fantasmas do silêncio que restou.

Saudade.

Estou com tanta saudade. Me diga, quando você vai voltar?

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

(:

E quando eu sumir, talvez sintam a minha falta! (:

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Aonde está você?

Hoje, sai andando sem destino. Queria no final das contas encontrar você. A noite escura, perigos, medos, sonhos caídos. Corpo jogado ao vento. Sem você para segurar a minha mão. Estava tão frio e eu congelara, tanto que nem respirar mais conseguia. De jeito nenhum! Nada faz com que eu respire direito. Observei o caminho do vento. Ele me levava á todos os lugares e á lugar nenhum. Encontrando cara a cara com o arfar de todos aqueles fantasmas que agora, voltaram a me atormentar. Espanquei-os com minhas mãos, porém, saí revestida e afogada em sangue. Sangue negro, estampado de pesares infundidos e desejos quebrados. Me esfaqueie, solidão. Somente tu, que leva-me entre a multidão. Tentei correr, contudo, tão inútil fugir que corri de mim, e consegui achar-me, em cima de poças. Poças de meu sangue! Gritei para que você me ouvisse, mas não lhe achei. Aonde está você? Não encontro ...

Mar.


" - Como é lindo não é? Não tem fim, como pode? - É, não tem fim, como tudo o que eu sinto por você. "

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Voe.


" Voe por todo o mar e volte aqui, pro meu peito [...]"

1 ano e 7 meses.


Era uma tarde ensolarada. Eu e meus amigos esperavam-na para então, podermos sair juntos. Desde o começo, engraçado, fomos á um Sarau de Literatura. (Como éramos diferentes) Eu lembrava dela vagarosamente, lembrava dos seus olhos. Depois de tanto esperar, ela chegou em minha direção. Não vou dizer que naquele momento eu percebi que ela seria a mulher da minha vida, porém, naquele momento meu coração bateu tão rápido que eu nem sabia o porquê. Naquele momento, senti vontade de pegá-la para mim e trancá-la em meu mundo. Que coisa! Foi isso que eu fiz, sem saber que isso a levaria para longe. Depois daquele momento, as coisas foram mudando, o próprio mundo, começou a girar ao contrário. As pessoas ao meu redor não estavam mais me fazendo sorrir, e apenas ela, conseguia fazer com que meu corpo vidrasse. E se passaram os dias, horas e horas sem desligar o fone. Horas e horas olhando nos olhos da outra, no meio da rua, sem poder pegarmos na nossa mão. Brincadeiras e até formspring real. Ali, a conheci tanto que me desconheci, até. " Eu acho que estou me apaixonando por você, eu não posso"; " É, eu também acho que estou. E agora? ". E nos damos as mãos. Consequentemente, nossa paixão foi se transformando, e virou assim, amor. Que amor! Todos perceberam, impossível esconder. Começar a namorar em casa então, que passo grande na minha vida. Passar por todo o preconceito, por todas as barreiras e continuar aqui, tão firme, mostrando que eu amo alguém e que esse alguém faz parte do que eu chamo de todo de mim. Todos perceberam aqui, acredito que sim. Na escola, em casa, na faculdade, na rua. Deus, eu só queria pegá-la pela mão e passear na rua, fazer carinho em seu rosto e não precisar ter medo de que alguém nos faça mal. E ela me pediu em namoro no mesmo dia em que eu ia pedir. Na mesma hora, no mesmo lugar. Selamos uma paixão que crescia tanto que já não cabia dentro de cada uma. Era preciso que nos juntássemos para então, que coubesse nesse alma que passou a se entrelaçar. Escrever sobre morte? Sobre solidão? Tristeza? Não. Os sentimentos que começaram a aparecer dentro de mim foram tão fortes que conseguiu mudar toda a minha capacidade de enxergar a vida. De ler o mundo. E caminhamos infinitas vezes pela praia debaixo do céu estrelado. E vimos o sol desaparecer no Arpoador. E dormimos tão abraçadas que seria capaz de uma grudar com a outra. E corremos atrás do nosso sonho juntas. E choramos uma ao lado da outra. Como se estivéssemos casadas, uma cuidando da outra. E na virada de ano, prometendo sermos uma da outra para sempre. E debaixo da lua fazendo promessas e juras de amor. E no nosso jantar a luz de velas, e quando eu coloquei o anel de compromisso em seu dedo, entreguei um poema e em lágrimas dizia que ela sim, era a pessoa que estava escrita em meu destino. Quando eu passei no vestibular, quando contávamos o dia. Aguentar ficar três dias incomunicáveis com ela. Nossa! Eu quase morri do coração. É, quanta coisa ... Nos baseamos tanto na verdade, e a verdade a tirou de mim. Eu ainda acredito que você volte, acredito que nosso destino sempre esteve escrito em algum lugar. Acredito que nossos caminhos ainda vão se cruzar. Ainda não entendo o porquê do universo querer brincar com toda essa dor que me consome dia após dia. Hoje, completamos 1 ano e 7 meses ... Posso continuar contando? Primeira vez que não escrevo uma carta para você, e que não recebo a sua. Primeira vez que em essa data não possa dizer " Parabéns meu amor". Primeira vez que eu não tenho você. Por isso, mesmo sem ouvir a tua voz doce eu estou aqui para dizer-lhe Parabéns. Eu te amo muito e você está fazendo falta. Muita, muita falta, porque sem você já não sei mais em que caminho continuar.
Te amo minha menina. Eu te amo, de verdade.
Saudades ... saudades.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Leve ...


Susurrei como se você pudesse ouvir meus lamentos. Como se ainda a tivesse entre meus braços. Como se nada disso estivesse acontecendo. Como se ainda existissem lágrimas para serem choradas. Perdoe-me a fraqueza! Estou mórbida, morna, morta.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sonho realidade.

Essa noite eu tive um sonho. Deus, que sonho! Nele, você segurava meu rosto e encostava nossos lábios tão incansavelmente, que nos fazia perder o ar, como eu não sentia há muito tempo. Você pedia pelo meu corpo que eu, como se ainda houvesse como, me entregava ainda mais à você. E tudo mudou de lugar. Tudo ao contrário. Nele, eu somente permanecia em silêncio. Nele, você despejava palavras amorosas e carinhos que diziam-me: Nunca mais vou te deixar. E tuas lágrimas se misturaram às minhas, e o barulho do vento se misturou aos nossos soluços, e as nossas almas se misturaram, e nossa respiração se esgotava, e eu me afogava, depois que acordei e percebi que você não está aqui. Teus desejos que não são mais meus, a tua boca, nem é mais minha, os teus olhos, quais nem vejo mais. E minha vida, que sempre será tua. Hoje, depois de acordar, vou ficar aqui. Que se dane essa manhã, que se dane abrir os olhos, que se dane se querem que eu levante. Essa manhã, vou continuar aqui, imóvel, esperando que este sonho traga-me você. Vivendo em uma ilusão este momento que espero, vire realidade.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Sonhos.

Eu sinto a tua falta, menina. E esta noite, sonhei com as tuas promessas e em meu quarto senti o teu cheiro. As pessoas me olhavam, e eu não enxergava ninguém, nem eu mesma. Por isso, venha me salvar de mim. Nestes sonhos, traduza-me o que a solidão tanto me sussurra. Espero mesmo que esteja aqui para puxar-me de volta. Seus olhos, tão penetrantes. Por favor, não pare de olhar nos meus. Não, não diga nada, apenas me contorne com teus braços esta noite. Com palavras soltas, frases embaralhadas, suplico que lembre-se que estarei aqui para lhe fazer sorrir, mesmo que eu precise chorar. Acorde, então, meu coração incontrolável que já está dormindo, ou seria, desmaiado. Mostre a eles que você está aqui. Me ajude a libertar meus sonhos deste pesadelo. Silêncios já não bastam.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Preconceito.


É tão difícil ser diferente. Ser diferente das convenções, não querer ser submetido a ideologias. É completamente mais difícil ainda, lutar contra toda sociedade que te olha de maneira torta. Porque você sim, é errado. Você sim. é o que Deus abomina. Sabe, já passei dessa fase de ficar me remoendo e querendo esconder quem eu sou. Hoje, só não pego a mão dela porque ela não está mais aqui comigo. Mas quer saber? Eu vou esperá-la e vou lutar contra todo esse pré- julgamento. Pode me ver daí, meu amor? Eu vou lutar por você sim, espero que você volte e lute por mim. E quer saber também? Gosto de ser diferente. Gosto mesmo! E vou ser diferente sempre, pois isso não forma meu caráter. Não procuro liberdade mais, sou livre dentro de mim e sou livre para dizer que sim, sou diferente de muita gente (se bem que hoje isso anda tão comum. Eu queria tanto lutar por todas as pessoas que não podem ter voz para dizer que também é diferente. Não aguento mais essa nojeira de preconceito, não aguento mais essa força que tenta puxar, todos nós, que não somos como querem, para baixo. Quer saber novamente? Sempre vou ser assim. E você meu amor, me dê a sua mão para irmos de contra á toda essa convenção? Te carrego em meus ombros se quiser. Só peço para que volte um dia e me dê a força para lutar novamente contra essa sujeira toda. Minha menina, eu sou a sua mulher!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Por favor.

Esta madrugada, vou seguir na noite negra. Sentarei na areia na qual segurei-a em meus braços. Darei minha alma para o mar. Gritarei para a lua. Seria inútil respirar? Eu pediria para que a lua lhe devolvesse para mim, mas sim, seria inútil. Meus sonhos, entrego para o vento? Em minhas mãos, sinto os grãos de areia correrem entre meus dedos. Essa dor está me matando, pouco a pouco ... rapidamente. Queria implorar para que volte. Agora? Agora, o que eu faço da minha vida? Estou sentindo cheiro e gosto de sangue. Sem ar. Sem sonhos. Os fantasmas da noite me carregam. Cadê você para me fazer sorrir? Não, não consigo andar na noite, apenas rastejo entre os grãos. Apenas fecho os olhos diante do véu da escuridão. Apenas me afogo em mim, e diante das montanhas vejo você. Vejo teus olhos que não consigo mais alcançar. Aqui, estou sumindo lentamente. Estou! Não sei dizer, não sei nem se estou sabendo sentir. O que é isso? Lua? Me responde. Deus? Aonde? Eu entendo que tens de ir, porém, não entendo como viver assim. Estão sentindo? Nem sei mais se eu estou. Crave em mim, ó fantasmas de minha noite, o punho que me entregue uma dor mais leve, por favor.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

?

PUTA QUE PARIU! CARALHO!
EU TE AMO ... volta.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Luna.

Querida.
Minha Grande Lua.
Tão estrela, na qual o nome, chamo:
Luna.
Tu, que não me destes tua posse,
deste, pois, teu brilho empossado
nos olhos de minha eterna amada.
Luna pequena, tu, que aprendestes a conviver
tão rodeada de estrelas,
porém, tão só.
Tu, minha Grande Lua; Lua tão pequena,
daqui, tão grande em relação a mim.
Tu, na qual separada do Deus Sol
vive apenas na sombra de teus raios
de calor.
Tão sombria quanto a mim, estou aqui,
sem alma.
Tu, na qual alma desespera,
Ouvistes meus gritos?
desesperados, suplicados, pedintes.
Vês? Porque abençoara esse amor,
se levastes aquele brilho para longe?
Para, tão, novamente, distante.
Vou perdendo o ar, Luna.
Me ensina a conviver sem a tua presença,
Minha Luna,
São tão ... e tão intensamente lunática.
Ensina-me a conviver com tua ausência
Porque deixastes Luna?
Porque deixastes que tirassem minha vida,
de mim ? [...]
Luna, como retirar essa dor, esse medo, esse pavor?
Minha Luna,
Não aguento mais.

Carta.

Olá amor,
Eu ia te entregar essa carta, mas não entreguei porque tive a certeza de que eu e você não estaríamos aqui, agora, separadas. Quero mostrar lhe.. Preste atenção.


Se olhar para trás verá meu amor te seguindo. Se esse amor foi tão forte a ponto de nos destruir, saiba que um dia, lembraremos de como foi bom amar uma a outra.
Eu, aprendi a sonhar ao teu lado; Aprendi a entregar meu futuro ao teu. Se hoje não der certo, deixo-a livre para voar e cortar o céu. Deixo-a livre, minha águia. Deixo-a livre para descobrir o mundo. Se voltar, estarei aqui.
Quando a noite cair, você saberá aonde me encontrar. Estarei na lua e a luz das estrelas lhe mostrará o meu amor. Estarei com as mãos estendidas para que meus braços te segurem e te protejam dos teus fantasmas. Ora, se você voltar mais forte e não precisar da minha proteção, ainda estarei aqui, para que você me proteja dos meus fantasmas. Pois, tenha certeza, estarei num abismo esperando que você chegue.
Se for para sempre, leve e guarde meu coração contigo. Segure-o nas tuas mãos; Leve o meu sorriso e meus beijos guardados em teus lábios. Quando a noite cair, beije o céu, eu estarei lá olhando por ti; Quando a chuva molhar teu corpo, guarde minhas lágrimas junto das tuas; Quando o vento gelar a tua face, lembre-se do toque das minhas mãos; Quando acordar seja livre.
Mesmo que não volte, eu estarei aqui, para sempre.
Eu te amo!

domingo, 16 de outubro de 2011

Estarei aqui.

Leve meu coração com você, segure-o em tuas mãos. Quando voltar, entregue-o de volta para mim. Quando voltar faça com que meu peito encontre ar. Quando voltar, segure as minhas mãos e me acorde deste pesadelo, pois eu sempre estarei aqui, esperando que volte para juntar novamente os nossos caminhos. Eu te amo e vou te amar, porque o coração que levou contigo, será o único capaz de amar. Aqui, ficará o vazio que o teu sorriso deixou. Ficarão as marcas das juras e promessas de amor. Aqui, ficarei eu, esperando para que pegue novamente a vida e a alma que eu entreguei á você.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Só hoje.

Eu só queria não ser assim, e preciso que a vida me mude tanto. Por favor, não quero ser tão sensível, muito menos me derramar em lágrimas todas as vezes. Estou tão irritada ... porque não queria gostar de escrever. Estou dependente. Muito dependente. Se eu pudesse, não escreveria nada. Nem me apegaria a rosas, a lua, a chuva, a noite. Queria tanto ser exata, apenas uma. Queria ter os pés no chão. Queria ouvir até mesmo músicas alegres. Queria não ser tão romantica. Queria não despedaçar todas as noites. Queria não chorar, tudo, tudo. Eu só pediria, em uma noite, não precisar tanto de um abraço. Pediria para ser razoável, para que eu não gritasse e não explodisse, para que eu não me recolhesse todas essas últimas noites, abraçada com alguma coisa que tenha o teu cheiro. Eu queria tanto ouvir o teu te amo, não me entenda mal, sei que você me ama. Eu só não queria pedir mais do que você pode me dar. O pior, é que eu sei disso tudo mas não consigo mudar nada. O pior é que eu sempre vou continuar assim, sabendo que sendo assim, continuarei sendo mal e estragando tudo. O que eu faço? Eu só queria deitar e não acordar por hoje, só por hoje.

domingo, 9 de outubro de 2011

Primavera.

Não chove faz tempo, porém, me afogo esta noite. Nesta primavera, cadê as flores que lhe dei? Cadê as juras que falei? Cadê a vida que te entreguei? Nesta primavera não encontro sorrisos, não encontro soluções, não encontro teu amor. Nesta primavera, durmo acorrentada a mim, querendo tanto ser liberta do que estou sentindo. Mas primavera, porque faz isso comigo? Primavera falsa que não me traz flores, primavera falsa que me traz tuas lágrimas, primavera falsa que molha meu corpo com elas. Hoje, daria tudo por um abraço teu. Daria tudo para ouvir tua voz dizendo que está com saudades. Mas a primavera quer lhe tirar de mim . A mesma primavera no qual lhe tive só minha, antes de estarmos aqui. Hoje, te daria o mundo, apenas para ouvir a sua voz dizendo estar com saudades, ou até mesmo dizendo que me ama sem que eu diga. Esta noite, choraria contigo, para não chorar sozinha olhando para o céu. Choraria contigo para não chorar sozinha e morrer lentamente com o passar das horas em que meu corpo já não consegue descansar e dormir.

-


Silêncio. Talvez se resuma a tudo o que posso fazer agora.
Te amo (...

Si te vas ...

Si te alejas de mi lado
Será mi culpa lo se
El haberte lastimado
Me da pena y destroza mi ser

Esta tarde gris si te quieres ir yo entenderé
Pero antes de partir dame algo de ti
Por que no sé

Si te vas
¿Qué voy a ser con mi vida?
Puede ser que se me parta el corazón
Al saber que no regresaras
Si te vas
¿Qué hará mi alma vacía?
Si te llevas lo que resta de tu amor
Solo me quedaré en el dolor

Ya no puedo remediarlo
Fué tan grande mi error
Y no me hacen en reversa
Las agujas de un viejo reloj

Esta tarde gris si te quieres ir yo entenderé
Pero antes de partir dame algo de ti
Por que no se

Si te vas
¿Qué voy a ser con mi vida?
Puede ser que se me parta el corazón
Al saber que no regresaras
Si te vas
¿Qué hará mi alma vacía?
Si te llevas lo que resta de tu amor
Solo me quedaré en el dolor

Tengo el mal presentimiento
Que si te vas de mi la luna llorara
Se va acabar mi mundo si te vas

Reik - Si te vas

sábado, 8 de outubro de 2011

...

Juro, queria tanto ter fé ... talvez conseguiria ser forte, talvez.

Para o sempre.

E sinto uma dor tão forte, intensa e profunda que já não sei como descansar; Sinto um aperto tão nostalgiante que não consigo, nem um minuto se quer, sorrir. Sinceramente, não sei como sair desse lugar dentro de mim. Alguém pode me ajudar? Sinto que estou morrendo lentamente e não encontro lugar seguro para me proteger. Pior. Me proteger de mim. Me proteger da realidade ; Me proteger até mesmo dos meus sonhos. Eu não quero voar; Não quero ser livre; Não quero cair ... Se ao menos eu tivesse ar para gritar, gritaria. Seu ao menos existisse força para implorar, imploraria. Se existisse voz para pedir socorro, eu juro, pediria. Me drogaria, até mesmo me mataria; Covardia. Medo da solidão. Medo de lhe perder. Medo do gelo que tem se tornado o seu te amo. Medo do teu silêncio diante das minhas palavras de amor. Medo da vida. Minha vida. Tatuarei você em minha pele, pois se você for embora, para o sempre que antes era nosso, estará não só em minha alma, mas estará para sempre em meu corpo. E meus sonhos tão reais mesclado no futuro se tornarão cinzas. Cinzas misturadas com a chama ainda vida, do que sempre será meu amor. Se ficar aqui, lembre-se, eu sou escrava do teu amor. Se o vento levá-la de mim, recorde-se, eu ainda sou uma escrava do teu amor. Eu só preciso que segurem minha mão, só preciso que me ouça um minuto: Eu te amo.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

;

O celular está em minhas mãos, juro que quero te ligar. Quero dizer que te amo e quero pedir que nunca me deixes. Só quero que você diga te amo ... só quero ser sua para sempre.

domingo, 2 de outubro de 2011

Te amo.


Eu te amo ... está escrito, sempre esteve, em meu destino e em meus sonhos.
Se lhe tirarem de mim, sempre lembre-se, nossa história está cravada em minha vida, nem que o mundo dê voltas e voltas eu vou te esquecer.

Vida;

Rumo ao nosso destino depositei todos os meus sonhos. Depositei minha vida; Meus caminhos e meu futuro. Passamos por preconceitos e por coisas tão difíceis que se fosse fraco, não estaríamos ainda aqui, juntas. Eu não peço nada em troca, meu amor; Seria tão difícil apagar as linhas que estão escritas em nosso destino; Não sei o que faria com o tempo se você não estiver aqui,com tudo o que caminhei para poder segurar a tua mão e encarar o mundo. O que eu faria com o que sonhei até hoje?

sábado, 1 de outubro de 2011

Perdoe.

Eu só quero fechar meus olhos. Quero apenas deitar meu corpo e me deixar chorar. Quero apenas ficar sozinha e me deixar ser invadida por medos e sonhos que são só meus. Quero desejar á minha dor, força. E quero desejar á minha força, ainda mais dor, pois não sei diferenciar isso daquilo. Não sei nem mais o que são lágrimas. Não sei mais o que é sorriso, pois choro e sorrio ao mesmo tempo, e sofro por não saber o que é verdadeiro dentro de mim. Me perdoe. Está doendo porque eu tenho a leve impressão de que nosso destino pode fraquejar. Me perdoe por eu lhe amar tanto assim.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Não vá;

Sinto teu cheiro, lentamente; Profundo,
trazendo em si meus sonhos, desejos,
coragens e futuro.
Nossos medos agora tão reais,
transformaram em realidade nossas lágrimas,
a dor desse futuro sem igual.
Posso reconhecer entre versos, entre sons;
entre paisagens, entre nossa união,
que não posso viver sem você,
não posso reconhecer que não está,
não posso ir, não podes me deixar.

(...)

Meu coração dói; Dói tão intensamente que me anestesio de dor;
Dor excêdente; Dor incompreendida.
Querida solidão, não volte novamente. Suplico-lhe, amor.

te amo.

Quero apenas dizer te amo,
Que te amo existe, meu amor?
Te amo diz minha razão; Diz te amo
meu coração. Te amo diz minhas asas
que não querem voar; Te amo
diz meus olhos que não conseguem parar;
Parar de lhe olhar. Te amo
diz minha boca que lhe quer sussurrar; Te amo
diz minhas mãos que não podem lhe largar; Te amo
diz minha vida que não pode te deixar; Te amo
diz minha alma que não pode partir.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Lamento.

Lamento se não sou tão perfeita para lhe ter; Lamento. Lamento. Queria tanto te fazer apenas sorrir que esqueci; Não existe apenas eu na sua vida. Queria dizer que lhe entrego ao mundo para que ele lhe traga novamente teu sorriso, porém, perdão, as palavras que teria de usar não são as verdadeiras na qual quero falar. Se algo de errado fiz até hoje, tenho tantas explicações; Lamento informar que nenhuma delas pode trazer de volta teu sorriso. Dói saber que o mundo pode te fazer melhor do que eu; Queria gritar para que você ouvisse. Não. Queria mostrar que pensei que só eu seria capaz de te fazer feliz. Errei, errei tanto. Mas eu não posso te deixar ir; Você quer? Pensei que todas as juras de amor; Pensei que te dando minha vida; Pensei que ter um mundo só meu e seu eram suficientes para que fossem eu e você para sempre. O universo nos deu a resposta, e hoje, eu lhe perco entre minhas mãos e sinto você ir embora diante de meus olhos. Eu não posso te deixar ir.

não.

Eu não quero apenas ter lembranças boas de quanto foi ótimo lhe ter ao meu lado. Eu preciso refazer todos os dias da minha vida os momentos que tenho com você. Não posso permitir que o destino te leve, ainda tenho tantos sonhos para realizar ao teu lado. Não posso permitir ter só a sua amizade se o que eu sinto por você é maior do que o que eu sou. Não posso te entregar á vida, porque sinceramente, você é minha vida; Vou permitir que esse destino nos dê a certeza, minha certeza, você.

domingo, 25 de setembro de 2011

Maktub?


A madrugada se torna tão fria, se você não estiver aqui. Meus sonhos estão depositados em você,meu futuro e meu destino ...

....

Se eu pudesse lhe deixava ir, mas sou tão egoísta que não suportaria deixar você seguir seu caminho sem mim. Se a vida insiste em separar nossos caminhos, meu coração insiste em segui-la.
Eu só quero te fazer feliz, só lhe fazer sorrir.

domingo, 18 de setembro de 2011

Paixão.

Agarrando em tuas mãos, senti o teu suor. Minha boca suada na tua pedindo pelo teu sexo. Como o desabroxar de uma flor, senti teu néctar no meu, e num beijo tão apaixonado renasci, apavorada de tanto amor por ti. Que amor tão mesclado com loucura que transborda entre meus olhos desesperados de paixão. Em ti cravei minha melhor parte e faço assim, lhe dando meu coração. Desvainadas passagens, caminhos perdidos, o sangua pulsado, meu amor acometido. Nos pêlos eriçados pelo soprar da tua boca e teus sons tão intensamente, não me torno mais sujeita e viro tua escrava, tão subordinada a teus encantos que não mais funciono sozinha. O tocar dos teus dedos,; O sentir do teu gosto; O roçar dos teus lábios e a sua respiração. Totalmente, somente você, faz-me sair de mim e instantaneamente , formar-me de você.

18 de Setembro;




Você lembra desse dia? Posso te lembrar?
Éramos nós, luzes de velas e muito, muito amor. O que você pensou que eu faria para você aquele dia? Apenas um jantar não é mesmo? Porém, eu queria tanto te mostrar o quanto meu coração já era apenas seu. Como meu passado já havia ficado todo para bem longe de mim. Eu lhe dei uma rosa e diante de um jantar diante do céu tão escuro, vi teus olhos brilharem e derramarem lágrimas. Só eu sabia, o quanto o amor estava me bambeando. Era um sonho. E ainda assim, você pensava que já havia acabado. E quando eu lhe entreguei a prova de que quero passar a minha vida junto da tua. É uma pena que eu não tenha conseguido te abraçar tanto, pois meu corpo estava tão trêmulo que nem mesmo me aguentava. Esse anel que usamos até hoje significa muito mais que lembranças ou algum significante. Você lembra, eu segurei a tua mão e tão trêmula consegui colocá-lo em teu dedo. E você, conseguiu colocar em mim e nesse momento, eu senti minha alma entrelaçada com a tua. Eu lembro dos teus olhos, da tua boca sorrindo e da tua pele arrepiada. Eu lembro e revivo todos os dias esses momentos que temos juntas. Hoje, eu sinto crescer tanto dentro de mim o que estou sentindo que parece que vou explodir. Menina, quantas coisas já não passamos até aqui? Até mesmo ficar sem você e me sentir sem ar ... Se você for, eu não sei o que farei da minha vida. Aquelas vezes em que te jurei amor eterno, aqueles dias em que posso dormir e acordar ao teu lado. Todos esses dias em que durmo e acordo sabendo que terei você para participar do que eu sou. Faz 1 ano em que pude pedir para que você se tornasse ainda mais minha. Farão muitos mais anos em que estaremos ainda mais oficialmente juntas. Te amo, noiva.

sábado, 10 de setembro de 2011

Uma amizade pra vida toda



De: Léo para Bruna

Foi como amor a primeira vista , tudo aconteceu muito rápido , e logo percebi que tinha algo de errado com a maneira em que você levava a vida , não que era errado o que você fazia pois você tem todo direito de ser como você quer, mas um garoto com muito amor como eu não poderia deixar uma pessoa que se tornou tão especial em pouco tempo se perder e se entregar para um vida sem resposta.
Eu ficava pensando , ela é tão linda , porém toda vez que á vejo sinto vontade de lhe dizer tantas coisas mas ainda não tenho a cara de pau ou intimidade , nunca gostei daquela vida que você levava.
Fiz de tudo o que um verdadeiro amigo faria e não apoiava a maneira como você encarava a vida , você tinha várias pessoas em sua volta ,porém ,penso que nenhuma fez você acreditar tanto no Amor como eu. Os verdadeiros amigos não podem apenas abrir os olhos e ver o que está acontecendo , eles tem que ir mais profundamente e eu sabia que o que você estava fazendo iria te fazer mal cedo ou tarde , você estava sempre incompleta e foi aí que te dei conselhos , conversamos e mesmo sem te amar como amo hoje sinto que te ajudei , e de cara te ganhei com a verdade e você de tão meiga fez com que eu acreditasse mais ainda que poderia lutar sim por esse Amor , e hoje estamos em situações diferentes , você vive o seu Amor o qual eu sempre disse a você que lutasse por ele , e eu vivo uma decepção que me deu uma amiga tão especial como você , resumo nossa amizade em uma palavra - Verdade .

Você é um presente que DEUS me deu em meio a tanto sofrimento , a tantas mentiras , e quando falo que nossa amizade se resume na palavra Verdade é porque somos isso , não usamos máscaras , não somos podres por dentro ou nem aproveitadores de situações , temos um coração. Você não tem noção da felicidade que sinto em ver você com a Dudinha , em saber que estão bem , em receber vocês em minha casa e poder sentir a felicidade sendo mostrada pelo carinho a qual uma cuida da outra , o jeito de olhar , tudo que você fala sobre ela , tudo que ela diz sobre você .
Fico muito feliz por ter participado desde o começo , me ORGULHO de você amiga , você conseguiu o que poucas pessoas conseguem , você se fez mulher muito rápido mesmo com todas as dificuldades que eu sei que você passou em sua vida , eu quero que você continue nesse caminho e quando ver que você está se desviando jamais deixarei você ir , não virarei as costas para você , sempre estarei ao seu lado em todos os momentos como você sempre esteve do meu .
Posso não te dizer muitas coisas pessoalmente , mas você é sem dúvidas uma mulher incrível, uma garota que merece muito a cada dia ser mais Feliz , e hoje é seu aniversário , e estou aqui para lhe desejar não só hoje mas sempre o que eu mais desejo pra mim MUITO AMOR !

Obrigado por tudo, por cada palavra , por cada lágrima sofrida junto as minhas , por cada sorriso vivido junto ao meu , sou Feliz por ter uma amiga como você e agradeço a Deus por ter colocado você em meu caminho e lembre-se amiga nunca deixe que a mentira tome conta de você , seja verdadeira , seja real e lute sim por seu Amor , e não se esqueça que você tem um amigo que te quer muito , e que em qualquer momento estará de braços abertos pra você .

Feliz Aniversário , Amo você !

Léo .

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Feliz Cumpleaños My Love!




Hoje 09 de setembro de 2011, você faz mais um ano de vida. Hoje se faz mais um ano de cada coisa que passamos juntas não é. E seu aniversário é mas uma dessas datas que vamos poder comemorar pela segunda vez.
Quero lhe desejar muitos anos de vida, saúde, paz, sabedoria, força, felicidades ... desejo que seus sonhos se realizem, e que mas possam habitar dentro de ti, para que nunca se apague o mas pura sentimento que possamos ter, fé.
Desejo que mais anos venham, e que em todas que vier, estejamos juntas. Desejo tudo de melhor á você meu amor, mas TUDO ainda é pouco para o que você merece. Que tudo que ti faz de bom hoje, amanhã possa vir em dobro, que você possa colher tudo que plantou.
Eu estou plantando coisas maravilhosas ao teu lado, e lá no furuto quero colhe-las com você.
Enfim meu amor, nem as mas belas palavras, nem os maiores textos seriam capaz de descrever o quanto torço, o quando dejeso coisas boas a você. Minhas palavras não são suficientes, mas acredito que meus gestos poderam dizer muito mas..
Que você seja feliz hoje, amanhã e sempre. Eu te amo!

Por: seu mozi Dul hihi*

domingo, 4 de setembro de 2011

Não importa.



Não importa nenhuma noite que passei sentindo falta de alguém para me abraçar. Não importa nenhum dos pesadelos que me fizeram levantar a noite. Não importa os muros que tive de pular, as agulhas que me fizeram sangrar, as lágrimas que me fizeram afogar em mim mesma. Não importa os dias em que estive sozinha. Não importa as mentiras que passei, nem os quilômetros que percorri. Não importa os fantasmas que criei, nem o escuro que me calou. Não importa o silêncio que me amedrontou. Não importa o caminho que trilhei, nem o passado que deixei. Não importa a solidão que me acompanhou, nem o vento que tanto me congelou. Não importa os desesperos que passei, nem a estrada tortuosa que encontrei. Não importa os frios que esperei, nem os segundos que quiseram me destruir. Acredito que a noite estava a sua espera para me acompanhar. Os meus sonhos a sua espera para me confortar. Os tropeços para você me levantar, e meu sangue, a sua espera, para esquentar com teu toque. Minhas lágrimas para se misturarem à tua alma. Minha solidão estava a sua espera para ir embora. As mentiras para dar lugar as minhas verdades, e os quilômetros atrás para deixar com que você alcance os que virão. Os fantasmas que estavam a sua espera para se transformarem apenas em ilusões distantes, e o escuro, para dar lugar á luz dos teus olhos. O silêncio esperando para dar lugar a tua voz. Meu caminho para encontrar um novo rumo. Meu passado para ficar para trás. O vento para nos abençoar e me fazer voar entre tua pele. Os segundos para pararem ao estar junto do seu corpo. A noite estava a sua espera para transformar nossos corpos em um único ser. Meus desesperos para encaixar com teu conforto. Meus desesperos para se tornarem ainda mais fortes só em pensar que posso perder a respiração que só tenho ao teu lado. O frio estava a sua espera para esquentar-me com teu calor. Não importa mais minha razão ... Em meu caminho encontrará apenas você, pois em ti, compreendo meu coração. Em ti, conforto-me e encontro, minha paz.

Te respiro.

Eu te respiro a cada momento que o vento toca o meu rosto. Descubro no manto da lua que estou alucinada, perdida, e achada entre teus braços. Me dói tanto quando não lhe tenho aqui perto. Tenho medo das minhas lágrimas, pois nunca poderei recomeçar sem você. Contar história debaixo das estrelas, pegar em teu rosto e sentir o teu beijo me fazem sentir ainda mais medo de perdê-la. O teu beijo traz de volta a minha respiração. Alguém consegue sentir esse amor tão grande? Pode apenas mirar me para salvar me. Então, eu posso escrever para ti? Versos e mais versos, prosas ensaiadas com o suor do meu medo. Canções improvisadas apenas para tirar o teu suspiro.

Futuro ...

Em meu corpo, vejo todos os teus vestígios. Em minha boca, em minha pele, em meu gosto. Grito para que me socorras entre toda a dor que posso sentir se um dia não estiver você aqui. Faça com que eu não tenha mais pesadelos reais assim. Pego-lhe pela mão e ajoelho para ti, posso dar-lhe uma rosa para selar o amor que sinto dentro de mim. Em meus olhos quem sabe pode ver as estrelas, que com teu beijo eu pesco ao encontrar o céu. E a lua tão apaixonada me delira, te traz a cada noite para encobrir-me de prazer. Segurarei a tua mão para me dar conta de que sempre será a realidade que traz-me para uma realidade que sempre terá você. Recitar-lhe um poema. Não consigo dizer tudo o que explode aqui ... aqui, eu não consigo mais respirar. Preciso que sempre toque minha mão e com teus braços enlaçe meu corpo que precisa de forças; Minha força, de um futuro que está me presenteando todos os dias. Continue sempre aqui.

Se não estiver aqui.

Me falta o chão; Me falta a respiração,
me falta o suspiro; me falta meu valor
se você não estiver aqui.
Traço a linha do destino,
a cada letra encontro a ti,
por um pequeno instante se um dia,
não lhe ter, estarei passando de um céu
tão tranquilo e irradiante para um inferno,
grande e sem cor.
Porque não posso estar sem ti,
perco entre palavras a sensatez;
derramo em lágrimas, minha
embriaguez. Vês, Deus, eres tudo para mim
não permitas que me deixe, por um nunca,
um nunca pois não podes partir.

Gratidão,

Quero estar contigo, peço a Deus para que nunca me deixes. Agradeço que lhe tenho para dizer te amo. Tudo o que sinto graças ao amor que sinto dentro de mim. Agradeço pelo calor da sua pele, pela chama da tua paixão, pelo tempo que deixas que meu coração esteja preso a você; Nunca vou deixar de dizer o quão sou forte para enfrentar a vida graças ao teu amor. Esse teu olhar tão profundo que traz á minha vida, o começo do meu futuro. A força para encarar o mundo. Tu, me tocaste, e assim, tornou-se a dona do meu coração. Em teus braços eu sou tua criança, em teu corpo sou a tua amente. Abra teus braços, me dê a sua mão, vamos voar? Agradeçer a Deus por não ter medo da vida.

Meu equilíbrio.

Sou uma navegante. Não tenho o que temer. E você? O tempo passa, a vida decide nosso momento, e nossas mãos estarão dadas em qualquer tempestade. Não tenha medo, é incerto qualquer destino, mas vamos seguir nossa travessia diante da luz e da escuridão. Não vá nunca, não deixe-me sem respirar um qualquer segundo. Creia em incertezas mas não descreia da certeza do amor que cresce a cada dia por ti. Minha alma queima, por isso, beije-me e transgrida minha respiração para suspiros e gemidos eloquentes. Que sejam efêmeras as tempestades e que cada fechar de olhos traga para mim, tua mirada. Conheço-te, não descobri teus segredos, porém, navego nos teus olhos que trazem para mim, cada descoberta. Trazem para mim, cada segundo de ti. O mundo sempre pergunta-me, eu sempre respondo. A vida sempre te traz, eu nunca lhe deixarei ir. Deixe-me apenas viajar em teus olhos. Seguirei assim, chorarei sempre aqui. Não estou apaixonada por você, sou apaixonada por você. Só quero te abraçar e nunca soltar a tua mão. Preciso te amar para sempre e gritar para o mundo que te amo. Sou sua criança, você é meu equilíbrio.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Eu te amo.

A solidão quis aparecer novamente. Tenho que te agradecer, pois você conseguiu fazê-la não voltar. Me peguei todas as vezes debaixo daquela capa intransigente de medo que não deixou-me viver e respirar um minuto se quer. Meu corpo não respondia a nenhum chamado, minha voz não saía da garganta e nem ao menos, conseguia gritar. O melhor disso tudo é que você me puxou pela mão e disse olhando em meus olhos que teu futuro está ao meu lado. Tenho que lhe dizer mais alguma coisa? Hoje estou com todas as forças para lutar contra o mundo inteiro pelo teu amor. Tenho amor para contagiar o mundo diante das minhas indagações e palavras. Palavras que estão ligadas á tudo o que eu sinto por você.
Quero te dizer uma coisa.
Quando você pensar que está sozinha ou que não tem forças para caminhar nessa estrada difícil, segure na minha mão. Quando você quiser chorar sem que ninguém veja, deixe-me limpar as suas lágrimas porque eu estarei aqui, sempre. Quando você quiser tirar teus segredos de dentro de você, grite ... ou chore. Eu sempre estarei aqui. Quando você achar que não aguenta mais, pense em tudo o que eu te disse até hoje. Quando você achar que o passado importa, lembre-se que meu futuro é o mais importante e que nada vai me fazer deixar a vida que eu tenho hoje contigo. Quando você tiver ciúmes, lembre-se que eu te amo tanto que qualquer pessoa que apareça será pequena ao teu lado, fazendo com que nenhuma tenha a capacidade de me envolver como você me envolve. Se você achar que não tem mais como seguir ... Eu continuarei aqui esperando você. Porquê você é aquela pessoa que eu sonhei todas as vezes. Aquela pessoa da qual eu quis para tomar conta da minha vida. Tenha certeza que nada é exagero, acho que ninguém consegue ver a dimensão do que é isso que eu sinto dentro de mim. É uma sensação tão estranha que desconserta toda a minha razão. Todos esses momentos que eu passo contigo só servem para me enrolar mais nesse sentimento que está aqui dentro. São emoções que não sei explicar. Você sabe? Só quero um dia conseguir te mostrar, se hoje eu ainda não consegui. Eu te amo muito, e que venham nosso 1 ano e 5 meses juntas. Espero logo poder acordar todos os dias ao teu lado.

Presságio.

Acometeu-me um passageiro presságio. Algo incompreendível e portanto, longe de se tornar real. Mensagens ocultas maquiadas pelo meu subconciente, ou talvez, inconsciente. Não sei o que acontece toda vez que fecho meus olhos e encontro os teus. Pensar em algo surreal é sofrer com acometidos enganos. Ilusões e desilusões. Sofrer o inacabado que de tão rápido passa e se quer, posso enxergar. Nos meus sonhos, posso fantasiar. Espero, do fundo do que há de mais verdadeiro em mim, que meus sonhos não enganem a minha realidade. Seria voar de mentira e a própria mentira não faz parte do que me formo. Formo -me em tortuosas tempestades. Podem ver? Eu vejo apenas pelo espelho. Como magia negra ou uma singela luz ao redor do mundo. Queria poder contar o tempo, correr ao redor do passado destino para reinventar o que talvez pudesse ser inventado. Não gosto da luz, me apavora o escuro. Nada faz sentido sem o brilho que emana uma luz diferente do teu sorriso. Como um ardoroso fogo que queima, arde, engana e desengana meus pulmões que sem teu ar, não deixa-me respirar. Crueldade intensa pensar no futuro e talvez não lhe ver tateando minha face e soprando meu ouvido. Sopro que me dá vida, sopro que pode me dar a morte.Nessas águas cristalinas que correm dos meus olhos, encontro-me sem sentido vagando por desertas ruas, implorando para que não soltes nunca minha mão. Não quero presságios inacabados e nem más intenções diante das circunstâncias que arrebatam o meu caminho. Quero pegar nos seus delicados dedos e acordar dos sonhos verdades para que nunca se tornem mentira. Acredito no destino e no inacabado futuro que ainda, pode-se acabar. No futuro que sendo acabado é construído ao passar das horas e do acordar. O acabado destino que transforma-se em degraus da vida. Que vida que preciso e necessito construir ao lado da única pessoa que consegue transformar o meu sonho mentira em minha realidade verdade. Nada de futuros maus presságios ou de lágrimas cristalizadas pelo vento gelado do inverno. Nada de pavores ou de recompensas falsas que tentam arrastar meu íntimo diante das trevas de um passado que não preciso presenciar. Quero futuros criados pelo passado feito com a única pessoa que teve a capacidade de tornar-me alguém digna de ser recompensada por um amor tão verdadeiro que presságio nenhum, ou destino nenhum é capaz de quebrar.

encanta-me.

Encanta-me olhar em teus olhos e ver que dentro deles há muito mais do que qualquer pessoa possa enchegar. Eu vejo um brilho tão intenso, uma verdade tão forte e uma capacidade de renovação tão impressionante que tenho força em mim, se algo der errado. Encanta-me perceber o teu sorriso. Uma risada sua faz com que eu traga de volta todos os melhores momentos que já passei em minha vida. Encanta-me tocar a tua pele, ela me traz sensações que mexer com aqueles hormônios que fazem o coração bater mais rápido. Os pequenos cabelos arrepiarem e enfim, meu corpo gritar por prazer. Encanta-me segurar a tua mão porque neste pequeno gesto eu descubro o prazer de ter alguém com quem contar naquela hora em que a força do universo puxa todo o corpo para o mais baixo que conseguir. Agrada-me e apaixona-me ouvir a tua voz doce, porque ela faz com que eu seja capaz de enfrentar o mundo, o preconceito e toda dor que nos traz tristeza.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Enquanto você não vem.

"É tão difícil acordar e perceber que esse vai ser mais um dia sem te ver. Tudo na minha frente faz lembrar você: Uma canção, um som, um filme ou alguém na TV. Quando eu ouço aquela nossa canção, sinto um aperto forte no coração. É que a saudade faz questão de me lembrar, que eu não sei quando você pode voltar. E eu me encontro procurando o que fazer, invento coisas pra não ter que lembrar em você. Eu fecho os olhos tentando não chorar, enquanto você não vem. Sua foto é o que me traz um pouco de paz, você não sabe a falta que você me faz. Eu fico aqui querendo te encontrar. Enquanto você não vem. Meus dias parecem ser todos tão iguais, e só você sabia fazer diferente. Em tudo que eu via graça eu já não vejo mais, mas mesmo assim eu tenho que seguir em frente. E quando em fim você voltar pra mim, o meu abraço irá de encontro ao teu. Esse momento poderia não ter fim, para ficarmos sempre só você e eu. E eu me encontro procurando o que fazer, invento coisas pra não ter que pensar em você. Eu fecho os olhos tentando não chorar. Enquanto você não vem. Sua foto é que me traz um pouco de paz, você não sabe a falta que você me faz. Eu fico aqui querendo te encontrar. Enquanto você não vem."
Banda Cluster.

+

A quem estou enganando? Não consigo mais sorrir.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Dê-me uma droga.

Minhas mãos estão tremulas, não consigo escrever. Olho para o céu, mas não posso encará-lo. Meu coração bate acelerado, porém, minha cabeça tenta não mais pensar em você pois meus olhos estão cansados de lacrimejar. Sinto meu rosto inflado. Volte logo para mim. As lágrimas geladas quebram o calor que existia dentro de mim, e, este frio está congelando minhas pálpebras, minha boca, minha voz e meu coração.Não mais sorrio. Perdi-o dentre minhas mágoas. E ela, está aqui novamente. Cale a boca! - disse a ela. Está aqui ao meu lado, rindo, debochando. Trouxe mais frio e consequentemente, medo. Está gritando. Por favor, lhe imploro. Cale a boca! A solidão voltou e não tenho força para lutar contra ela. Não posso abrir meus olhos, muito menos fechá-lo. Não posso gritar, ela abafa minha clamação. Sinto que está pressionando meu peito, apertando. Está me mastigando. Não dói. Essa palavra agora tem um sentido diferente demais para mim. Você solidão, pode responder-me? Estou paralisada. Que estúpida eu sou! Burra. Nem ao menos sei o nome do que estou sentindo. Você está comigo, não é solidão? Decidiu voltar agora. Mas saia daqui! Estou enlouquecendo. Estou gelada, quente. Transpiro gelado, sinto-me queimar. Não existem mais estrelas para me acompanhar. Minhas pernas estão paralisadas, como meu futuro, meu caminho, meu destino. Não é possível que terei de voltar a viver outra vida para não errar de novo. Será que pagarei ou será que Deus recompensará minha alma pelo que estou sentindo? Estou com medo! Confesso, não queria. Estou vulnerável agora solidão. Me possua. Quebre-me. Aperte-me mais, pois o vento me transformara em gelo. Vai! Está conseguindo. Dê-me um cigarro. Quero queimar como suas cinzas. Cinzas como eu! Quero um copo de álcool ... serve qualquer um. Dê-me uma droga. Não estou sentindo nada. Espere! Estou sentindo tudo. Queres me ler, solidão? Agora sou toda sua. Não sou vítima, sou bandida. Que se foda! Deixe-me ... Não me possua solidão. Está doendo aquela dor que não sei o nome. Meu peito arfa, minha cabeça roda, meu corpo continua frio. Estou morta? Tanto brinquei com a morte que talvez esteja. Meu corpo está arrepiado. Então ainda estou viva. Merda! A quem estou enganando? A você solidão? Você sabe que não está nada bem. Porque faz isso comigo? Por culpa sua quebrei o espelho. Aquele que refletia minha alma. Ela está quebrada, ou não, desculpe, está quebrado. Estou trocando os sujeitos. Agora, estendo-lhe as mãos. Não queria voar, porque insiste? Acalme-se, deixe-me pular sozinha. Ou, esqueci! Você é a solidão. Merda, novamente. Dê-me então suas mãos. Estou morta ... preciso de um abraço.
Oh! Está doendo tanto. Pare de chorar - disse-me a mim. Que é isso? É dor? Que é dor? Aflição? Está tudo escuro e não consigo respirar. Afoguei-me. Matei-me
(05/07)