Visitantes.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Vestibular.

Passei hihi
O monstro do vestibular acabou, agora é faculdade u.u
UFRRJ s2

Alma perfeita.

No fundo dos olhos, a clareza de uma alma perfeita. Uma alma tão bela que irradia luz. Irradia perfeição. No fundo dos olhos, a tristeza que emana alegria. Que transmite sorrisos e acompanha todos os caminhos. No fundo dos olhos, a luz que sempre procurei no mais intenso de mim. O mais intenso dos meus sonhos e no mais fundo da minha própria alma.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Parabéns Papai.

Eu não sou a melhor pessoa do mundo, muito menos a melhor filha do mundo. Contudo, não é exagero nenhum dizer a você que você sim, é o melhor homem e o melhor pai do mundo. É meu pai. E quero te dizer que eu me orgulho tanto em ter você como pai que me faltam palavras para descrever o quanto eu te amo. Olha, e é meio difícil me faltar palavras para descrever. É mais um ano de vida. Mais um ano em que Deus nos dá a felicidade em ter você como nosso pai, como nosso herói e como nosso exemplo. Já te dei cartas e já lhe disse tudo o que eu queria dizer, talvez nem tudo, mas eu não podia deixar de escrever o quanto eu te amo e o quanto você é especial na minha vida. Quero te dizer que, eu não posso te dar todo o orgulho que gostaria. Não posso ser a pessoa que sempre sonhou que eu seria, porém, posso lhe dizer que você vai ter orgulho de mim em muitas coisas, muitas mesmo. Também quero lhe dizer que, você me mostrou o certo e o errado, sempre me protegendo tanto que dá a sua vida por mim e pelas minhas irmãs. Nós te amamos tanto. Sentimos sua falta em nosso dia-a-dia, e sei que você também sofre com isso todos os dias em que chega em casa e não nos tem ao seu lado. Não nos tem debaixo dos teus braços fortes de pai. Porém, mesmo assim, quero que você saiba que nos guiou até o caminho certo e hoje me orgulho em ser quem eu sou, mesmo não podendo te dar o que sempre sonhou para mim, mas isso é pequeno se comparado a tudo que você me ensinou. Você tem a sua vida, e nunca vai deixar de ser nosso pai, porque eu sei que quando você diz que nos ama, é do fundo do seu coração. Porque eu sei que quando nos deixa em casa depois de um final de semana contigo, suas lágrimas de saudade antecipadas são verdadeiras. Eu sei que quando nos liga em qualquer ocasiã, para saber se estamos na rua, se já chegamos na escola ou já saímos, se estamos em casa, se já comemos, se estamos bem, se não nos falta nada, se estamos sorrindo ou chorando, se estamos com saudade, se queremos lhe ver é tudo do fundo do seu coração, como se ainda pudéssemos morar juntos, como antes. Nesse meio todo de angústias, de saudade, de amadurecimento, percebemos que amor de pai e filha é eterno e que não há nada no mundo que nos separe, mesmo com as circunstâncias que não nos deixam nos ver sempre. Quero hoje lhe desejar um Feliz Aniversário e dizer que você precisa sempre continuar com essa sua alegria, com essa sua sinceridade, com essa sua vontade de contagiar todas as pessoas que te rodeiam, mesmo que você não esteja bem. Continue sempre com essa saúde que lhe deixa ajudar os outros, ser amigo e sempre estar ao lado de todos quando precisarem. Com essa sua vontade de sorrir, de abraçar e de beijar sem vergonha de nada. De nos defender de qualquer coisa, de fazer todos rirem e sorrirem com tudo o que faz. Em ter a sua coragem em ser tão honesto como você é, em falar coisas sem sentido para nos fazer rir, em chorar ao lado de nossa cama quando estamos com uma febre, em passar as noites em claro nos vendo dormir só para ver se estamos respirando bem. Você pai. Não há igual a você. Nesse dia tão especial, quero lhe desejar novamente parabéns, toda a felicidade do mundo e toda a saúde do mundo. Toda a alegria e tudo, tudo de melhor que existe nesse mundo. Eu te amo pai, eu te amo muito. Continue esse cara forte e conquistador, que sempre lutou para estar onde está.
Bruna, Clara e Luisa.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

hm

Você me bate, eu lhe beijo. Você me chinga, eu lhe desejo. Você grita, eu te abraço. Você me deixa ciumenta, eu morro. Eu te amo. Eu te amo de uma forma até doentia. Muito.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Sempre estarei aqui.

Não tenha medo. Não tenha. Eu estou aqui para cuidar de você, para abraçar-te, além de tudo, para cuidar da sua fraqueza. Eu sempre estarei aqui para segurar em tua mão, para levá-la para passear, e, além de tudo, para lhe proteger quando o mundo estiver pronto para não te aceitar. Eu sim, luto contra tudo, contra todos. Eu sim, estarei aqui para secar as suas lágrimas ou quem sabe para tirá-las de ti e colocá-las em mim. Pois você é a pessoa na qual planejo meu futuro, a pessoa na qual penso todas as noites antes de dormir. O amor no qual sempre sonhei em ter.

Faça o título (:

Estalava a gota da pequena chuva caída sobre o asfalto liso. A noite parecia incompleta e o céu negro da cor do fundo dos meus olhos. No cigarro entre os dois dedos pequenos compadecia e acabava em cada segundo em que o relógio rodasse, como o tempo entre as nuvens que batiam em encontro uma a outra. Sozinha. Não havia ninguém andando sobre as ruas, apenas o vento que balançara as folhas e sepultavam no chão as ousadias de um luar morto, infame. Levara a boca o pequeno pedaço restante do cigarro aceso, que já não fixara em meus lábios. Caíste. Meus olhos seguiram a última fagulha, desaparecendo dentre áquelas gotas. A solidão - pensei - estava diante de mim, como o cigarro morto no asfalto. A lua parecia molhada, embaçada, ou talvez seriam meus olhos, encharcados de dor. Minhas mãos, acariciavam a janela e a fresta encobria meus suspiros. Como o cigarro, acabou. A fagulhas da droga de uma vida de que o vento levou. Pedinte! Pedinte de socorro, de uma ilusão, de percepções e desaforos. Joguei os meus suspiros ao relento, e o vento misturou-o com gemidos e susurros vindos cada vez mais intensos. Percorriam pelo ar, batiam em todas as janelas que talvez rodeassem aquele lugar; Que lugar. Já não sabia onde estava. Já não sabia quem eu era. Um grito - estremeci - diante de mim estava o medo, tão intenso e pavoroso. Tão sórdido e excitante, tão cruel e eloquente. Tão ... tão cigarro. Tão droga. Tanto quão minha droga de vida. Aquele grito - pensei - vindo detrás das árvores nuas e tranquilas. Das árvores sem cores, porém, vivas. O grito, a mescla do socorro, do pavor. Do meu socorro, do meu pavor. Minhas sobrançelhas erguiçaram, meus olhos pularam, logo depois, fexaram. Meus dedos interrompiam os sonhos. As pequenas unhas emaranhadas de sangue,alisavam a fresta. A janela, aberta. O vidro, encoberto. Vidro, espelho. Inimigo cruel. Melhor amigo fiel. Um estalo - chorei - assustada com minhas mãos cobertas de sangue, de vidros, do único amigo que havia me restado. Agora quebrado, seguro entre meus dedos, apertados nas palmas de minha mão. Amigo. Amigo, como meu cigarro. Aceso, acabado. No chão. Meu sangue gritava. Vermelho como meus olhos. Vermelho como as lágrimas. Vermelho como as fagulhas do cigarro. O cigarro. Levado pelo vento. Meu sangue, misturado ás lágrimas, á chuva, as gotas de meu suor. Nas mãos, os cacos ... Os cacos da minha alma. De dentro, assustada, olhou-me nos olhos. Na cama, outra pessoa. Lá fora, eu. Como o cigarro. Como o sangue. Como as folhas sepultadas. Como a árvore nua. Como o céu negro. Como meu amigo e inimigo. Como meus cacos. Como minhas lágrimas. Como minha vida. Olhou-me. Suspirei. Chegou lentamente, penetrou seus olhos nos meus. Por um momento, lembrei dos beijos, das carícias, dos sorrisos. Agora, só o cigarro e a fagulha. Não. Nem cigarro nem fagulha. Nem nada. Eu te amo - disse. Olhei-a. Voltei os olhos doloridos. A cama? - Apontei. Desculpe- ela disse. Eu sorri, lentamente. Te amo - retornei a dizer. Olhei em seus olhos, penetrei como nunca houvera antes. Esqueci de dizer uma coisa - disse a ela. Ela retornou o olhar. Seu amor, acordando. Eu ... ? Um coisa-tornei a dizer. O que há com você? Suas mãos, seus olhos, sua boca - Me encarou com um rosto incomum, só eu conheçia. Não. O que era de mim sim, conheçia. Você é meu início, meio, fim. Meu sorriso, lágrimas e dor. Minha verdade, minha mentira. Meu cigarro.Minha droga. Minha lua. Minha estrela. Meu espelho. Minha janela. Meus olhos, minha boca. Você é - suspirei - Você sempre vai ser a dona da minha alma. E eu? Vim a este mundo para amá-la. E hoje não sei quem sou. Porém, perdão - Gemi, trêmula. Sou covarde. Não sei viver sem você. Amanhã, sorria. Hoje, não mais existirei. Para sempre, vou amar você. Daqui a séculos. Pois você é a minha alma gêmea. Sem você, não há voz. Não há dúvidas nem certezas. Não há caminho, futuro. Não há - sorri. Colei meus lábios. Limpe suas lágrimas e seu rosto aparecia no vermelho de meu sangue. Sua face encobria meus pavores. Desabei - Adeus - disse. Te espero, um dia- suspirei. Fexei os olhos. O cigarro, nada. Meu fiel amigo servira pela última vez como o aliado infame em minha vida. Agora, sem voz. Meu amigo ... inimigo , meus cacos, sepultaram minha carne com as folhas das árvores nuas de outono sepultadas pelo chão. Ao longe, um grito de desespero. Eu te amo, meu amor - Ouvi sua voz. Era tarde demais.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Minha mulher.

Tome minhas mãos; Mulher
E no teu seio, amamenta-me com teu amor
Dos teus lábios, cubra-me de ardor;
Beije-me; Mulher
Tome de mim meu coração
A vida, a morte, a escuridão
Preenche o vazio de uma carne sem precisão
Mulher; Mulher; Mulher
A outra metade de mim
A condenação de minha’alma encarcerada
Nos teus braços molhados de meu suor.
Ame-me; Mulher
Com teus olhos famintos, pedintes de desejo
De uma virtude que só a ti concebida
Mulher; Mulher
Sou tua mulher. Tua amante. Companheira
Tua escrava, tua prisioneira
Tua menina; Tua por inteira.

Escrevo-te.

Escrevo-te para descobrir, o qual verdadeiro sentimento
Pisados sobre o chão, cortado em pedaços.
Escrevo-te para achar; Achar o escondido
Procurar o grande perdido, o qual encontro em mim
Escrevo-te para chorar, para gritar, para amar
No escondido, no escuro, no reservado,no límpido
Para lavar a alma que um dia, antes e qual escondido
Escrevo-te para viver, para encarar-te, para morrer
Para beber-te, para comer. Para engolir-te.
Escrevo-te para dominar-me, para achar-me, transgredido.
Para começar uma vida; Ou uma morte, talvez
Totalmente sem sentido.

Cálice do medo.

Num cálice, perante a vida
De um adorno, uma fresta sem saída
De um sangue derramado, correntes de suspiro
Do gemido alienado,mutilado transgredido
Oh céus! Ferve a poeira dos meus olhos
Caídos sobre a mesa da compaixão
Trazendo a tona os meus sonhos
Correntes presas em meu porão

No desdenhar de uma prole
Nasço como a última ovelha
A negra dos meus sonhos
Sem pé e nem cabeça
Sem eira sem beira

Oh céus! Abertos os braços meus
Da caldeira das mortes
De quem sabe, tudo em vão
Como pedaços de meu nome
Encarcerados sob o chão

Escrevi e realinhei
Vivi em ambiguidade
Uma vida sem escolhas
Uma morte sem maldade.

Meu medo

Deitei sobre o céu totalmente negro. Perguntei a mim o porquê de afogar meus soluços nas lágrimas da escuridão. Desde então, voei. As estrelas e a lua acariciavam o meu rosto, acarinhavam minha pele arrepiando as marcas redundantes de pavor. Voando, cortei as nuvens e nadei no mar da minha própria fraqueza. Enfrentei monstros tortuosos e cortei a imensidão. Perto da colina, os sons uivantes dos fantasmas abriam espaço para o medo. E caí. Caí no lençol de pequenos grãos de areia e percebi.Encontrei. A resposta de tudo estava sobre mim e sobre o medo que rondava meus sonhos, que logo, se transformavam em realidade. Queimei meus olhos diante do meu espelho, diante do mar que molhava a ponta dos meus pés e da brisa que abraçava meu sorriso torto e amarelo. O medo, só o medo. O qual sempre fazia com que tudo se transformasse em fantasmas e monstros. Os meus monstros.

Uma Rosa

Minha pele arranca teus suspiros inusitados. Espero que você possa ouvir a minha clamação, pois eu te chamo, pelo olhar ou pelas melodias que insisto em ditar.
Dar-lhe-ei uma rosa, para que possa cheirá-la, e olhar para o vermelho de nossa paixão. Contudo,toda rosa tem espinho,toda rosa faz sangrar, toda rosa pode magoar. Meu amor, é multiplicado por milhares de rosas que deixo em teu caminho, e os espinhos? Eu arranco. Tiro todos para que você possa não se machucar, e vou me cortar, sangrar, morrer, mas nunca meu amor, deixarei você sofrer.

sábado, 8 de janeiro de 2011

É você.

Em algum momento de nossa vida, antes de dormir pensamos num futuro que possa vir, em portas que possam se abrir ou das que já não abriram e possam não abrir. Num instante, pensamos se somos capazes de amar, ou se alguém que segure sua mão vai aparecer. Pensamos, imaginamos, viajamos em um mundo de incertezas. De repente, como num filme de imagens, se pega pensando em qualquer alguém que te pegue pela cintura e te beije. Enlaçe teus lábios como num beijo de novela. Um alguém que faça melodias para você e cante no pé do teu ouvido. Um alguém que diga eu te amo e ajoelhe no chão da praça para pegar em sua mão e te traga flores para comemorar a data do primeiro encontro ou do primeiro olhar. Num momento, se depara com sua casa, dos dois, em que aquela pessoa acorde na madrugada só para dizer que lhe ama ou para beijar-lhe o rosto. Em algum momento de nossa vida, encontramos alguém em que achamos que seja o eterno, que seja o que sempre estará do teu lado para amar te e respeitar te, e em outro momento percebemos que estava tudo errado e não, não era ele. Quando ao acordar, olhamos para o lado e vemos que sim, encontramos a pessoa certa. Aquela em que o tempo não é capaz de levar ou de separar. Aquela em que levamos para olhar o céu a noite, em que beijamos e depositamos toda nossas fichas e todas as nossas expectativas. Aquela em que estamos decididos a dar as mãos para caminhar a estrada da vida, de nossa existência aqui. Em algum momento percebemos que aquela pessoa é capaz de dar a vida ao sorriso morto.
Você é aquela pessoa na qual eu sonhei a minha vida inteira. A pessoa na qual pensei não existir e apenas viver em meus sonhos e em minha irrealidade. A pessoa na qual transformou um beijo em fogos dentro do meu coração. Você é aquela pessoa na qual estou disposta a amar pelo resto de meus dias.

Meu amor.

Diferente de tudo, diferente de todos, encontro em ti a pureza de uma alma completamente escondida. Tão escondida que só pode ser notada ao olhar no fundo dos teus olhos. Nos teus olhos brilhantes, calmos, exuberantes e infinitamente brilhantes, como as estrelas do meu céu. Como as águas que levam minha alma para o sempre,e teu brilho que navega-me para dentro de ti. Contudo, dentro de ti, encontro meu mundo. E você, minha amiga, minha companheira, minha luz ... faz com que meu corpo se transforme em ousadia, com que meu silêncio se transforme em minha profunda voz, com que minhas lágrimas expulsem meus medos e enxuguem minhas dores. Tua voz, calma, cálida, ecoa em meus ouvidos e mais que melodia, emociona o fundo da minha alma e o interior dos meus sentidos. Mais que poesia, teus olhos refletem em mim, tua boca paralisa-me, arrasta-me para o mundo da fantasia. Meu mundo de contos irreis, no qual eu encontro o amor ... a paixão. No qual eu encontro a mulher que de mim faz o amor de sua vida.

domingo, 2 de janeiro de 2011

(...)²

A felicidade que traz valor duradouro á vida não é a de caráter superficial, que depende das circunstâncias. É a felicidade e o contentamento que enchem a alma, até em meio as circunstâncias mais difíceis e no ambiente mais penoso. É o tipo de felicidade que sorri quando as coisas saem errado e ri em meio as lágrimas. A felicidade pela qual nossa alma clama é aquela que não se perturba diante do sucesso ou do fracasso, uma que venha se enraizar profundamente dentro de nós e que preencha nosso interior com tranquilidade, paz, contentamento, independentemente de como o problema se apresente. Esse tipo de felicidade perdura ainda que não haja nenhum estímulo externo.
(Billy Graham)

FECHO OS OLHOS PARA VER.

(Paul Gauguim)

Perdão.

Posso gritar? Alguém pode me ouvir?
A sujeira do nó que minha carne enlaça acaba matando minha alma
Sugerindo a mornidão de meus olhos
Eu grito por socorro, talvez possam me ouvir
Neste mundo sem sentido, alguém pode me deixar partir?
Peço para que me deixes vida, vou seguir
Talvez a minha morte, nesse exato momento
O rio clareia os sentidos diante de meus olhos
Então posso sentir o cheiro de meu sangue escorrendo entre os dedos
No espelho aliado a mim
Posso sentir a rachadura impune
Desconfigurando o reflexo de meus olhares
Abatendo a escuridão da fraqueza que a mim desmancha
Minha carne insiste em gritar por socorro, vou pedir o teu perdão
O perdão de meus olhos nos teus
Me chama demais a atenção
A morte que a mim apavora
Revigora minha solidão
O perdão por lhe amar demais
Amar demais e tirar a liberdade que queres
Por isso, peço-lhe perdão
Nada disso, eu prometo
Será em vão.

Cansei.

As letras confundiram minha mente, e estou absorta diante de tudo o que ando escrevendo. Meus sonhos andam se dissipando, e eu cansei de acreditar em meras loucuras. Meras fantasias fantasiadas de sonho. Como a frustração. Cansei de andar para me tornar logo, a ascendente fraqueza em meio ao deserto.

Um dia.

Porque tem de ser assim? Desculpa, sou egoísta. Desculpa, pensei que você não conseguisse sorrir sem mim. Desculpa, pensei que você não pudesse viver sem mim. Tudo isso porque, eu não consigo se quer viver sem te ter ao meu lado.
Perdão por amar mais que a mim, mais que minha vida, mais que o mundo. Um dia, consigo controlar as minhas emoções. Um dia, controlar o meu choro e meu soluço. Um dia.
Um dia, dormir tranquila, aprender a te deixar livre. Aprender a não viver de angústia, de solidão, de vazio.

(...)

O refúgio, passou a ser meu sorriso.
Alguém consegue ver atravéz do meu olhar? E da minha alma? E das minhas lágrimas?
No meu sorriso sempre vai estar um pedaçinho de minha fragilidade. Não me impeça de caminhar, pois estou rastejando tentando achar minha felicidade.

Minha escuridão.

Na escuridão do teu quarto, os sons das batidas do meu coração embalavam minha respiração e a ponta dos meus dedos acariciavam tua face, te vendo apenas dormir. Te percebia em meus braços, e meu corpo dava sinais de quentura. Minhas lágrimas contornavam meu rosto e bordavam minha verdadeira face. A angústia moldava meus suspiros e meus lábios a tua testa. Você dormia, como um anjo. Meu anjo. Quando a luz das estrelas iluminavam o quarto por uma brecha, podia perceber teu rosto, beijar teus lábios e acariciaar o molde da tua face, novamente, sem se quer parar. Sentia teu coração e o silêncio do nada. Você dormia, apenas dormia. Eu sentia teu coração, assim, a noite inteira, e você, talvez nunca entenda o porquê meus soluços tomavam conta do silêncio. Talvez nem eu entenda, quem sabe Deus.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Amor, á você;

Deu meia noite, eu estava contigo. Estava sem minha mãe, meu pai, minhas irmãs. Sem ninguém da minha família e nenhum amigo meu. Senti falta deles, mas quer saber? Minha maior felicidade foi te ter ao meu lado naquele momento. Nunca havia dado tanto importância para alguém a ponto de deixar todos apenas para te-la ao meu lado. Difícil é saber que não seja a mesma coisa contigo. Depois da meia noite, esqueci minhas tristezas, minhas incertezas, minhas lágrimas. Esqueci o mundo. Para que eu precisava do mundo se eu tinha você?Quero te lembrar umas coisas.
Em 2010, eu te conheçi.
Quando te conheçi, já tinha certeza de uma coisa: Teria que enfrentar o mundo, independente da pessoa com a qual eu estivesse, porque amo diferente.
Mas quer saber? Não sabia que amava diferente e muito menos o que era amar.
Quando eu te conheçi, conheçia várias outras pessoas. Escrevia aqui todo dia sobre solidão, sobre vazio e sobre morte, e ninguém conseguia acreditar que eu sentia aquilo tudo, eu era rodeada de pessoas, de colegas, " amigos", festas, namoros, ficadas, sorrisos, manhas. Gostei de muitas pessoas, gostei mesmo. Gostei de amigos e amigas, amava minhas amizades, confiava em todos. Minha vida era assim.
Uma vez me perguntaram, o que tinham que fazer para me conquistar, e eu não sabia. Ou sabia. Respondi. Disse que para me conquistar era preciso chegar a uma parte de mim que ninguém ainda conheçia, que ninguém era capaz de conseguir alcançar. Uma parte de mim que ninguém entendia e que sempre foi trancada para qualquer pessoa. Não acreditava no amor, não acreditava que alguém pudesse me amar de verdade, mesmo sempre dizendo a mim. Não acreditava no amor. Acreditava em paixão. Acreditava em momentos onde o corpo se misturava com as emoções, com a sede de ter alguém e de fazer alguém gostar de você, mas amar não. Eu dizia te amo em vão, porque não sabia realmente o que era o amor.
Quando te conheçi, não ia deixar eu me entregar. Nunca deixei, nunca me permiti. Sim, gostava de você, te amava. Talvez te amava como pensei que amava, mas na verdade acho que era um fogo de paixão, e depois, passou a um amor incontrolável. Nunca quis proteger ninguém, sempre quis que me protegessem
E em 2010, com o passar dos meses, me apeguei. Tivemos momentos inesquecíveis lembra?
Lembra do nosso primeiro encontro? Foi a primeira vez que eu levava alguém comigo a algo importante como aquilo. Ninguém entendia como uma coisa assim era importante para mim.
Te levava a praia, víamos o pôr do sol. E nos dias em que sentamos na areia, no fim da tarde, e eu chorei dizendo que te amava, você se lembra? Ali, percebi que não tinha mais jeito, começei a me entregar.Te jurei amor eterno.
Quando dormi a primeira vez na sua casa, acordei junto a você, e queria que aquele dia não acabasse. E no dia em que você conheçeu minha mãe, e eu te apresentei como minha namorada? Lembra?
Em 2010, você teve uma surpresa. Um jantar a luz de velas, você lembra? Era música, nossos dois amigos, uma rosa vermelha entregue a você, o violão tocando, fotos de nós duas, cartas. E você lembra da última? Achou que a surpresa havia acabado, mas na verdade, tirei de um lugarzinho escondido, uma caixinha branca com uma fitinha rosa. Lembra? Eu tremia tanto que não consegui nem olhar em teus olhos. E depois? Você lembra da caixinha preta, com nossas duas alianças? Naquele momento acho que você percebeu que eu estava resolvida a passar a minha vida inteira com você. Pedi a sua mão em casamento.
Em 2010, passamos a noite na praia, debaixa do céu negro, totalmente estrelado. A lua era intensa, e parecia nos cobrir com seu brilho. Só tinha nós e nossos amigos. Estava frio e sentia seu corpo me esquentando. Foi a primeira vez que passamos a noite juntas.
Em 2010, tivemos tantas brigas. Brigas que me fizeram pensar em perder você, mas só de pensar, meu peito doia com uma angústia tão forte que não pensava mais. Me decepcionei tanto, mas me alegrei tanto. Sorri e chorei tanto.
Em 2010, resolvi deixar tudo e TODOS. Não precisava mais de ninguém e me fexei em um mundo diferente. Me entreguei mesmo a você. Só em dizer eu te amo, as lágrimas correm em meu rosto. Me tranquei em seu mundo e deixei a minha vida para começar a viver a sua. E errei nessa parte. Desculpa, começei a te amar tanto que ... não sei te explicar. Parei de ir a qualquer lugar sem você, não conseguia, não consigo. Nada de rua, de shopping, de amigos, de festas, de reuniões em família, de liberdade. Não consigo mais ter liberdade, me prendi a você.
Em 2010, me formei. Mas quer saber? Não tive vontade de ir, porque você não estava lá para me dar parabéns como minha família estava. Fui embora tão rápido que deixei todo mundo para trás, eu só queria chegar em casa e falar com você.
Em 2010, eu virei meu mundo de cabeça para baixo. Você se lembra de todas essas coisas? Eu reelembro isso todas as noites.
Em 2010, amadureci de em um relacionamento intenso e forte, que eu penso ser para a vida toda.
E toas as vezes que íamos ao shopping e ficávamos olhando uma para a outra sem poder nos tocar? E quando eu pedi você em namoro na mesma hora em que você pediu a mim? Lembra?
Eu me entreguei a você de corpo e alma. Dediquei meu coração e minha vida a você, e todo o medo que eu tinha em amar alguém, deixei de lado. Todo o medo e a preguiça de saber o que é o amor. Novamente, digo que me entreguei. Passei dias chorando sem ter você para me abraçar a noite, dizendo que tudo vai ficar bem e que você me ama. Como aquele dia em que dormi sozinha no chão sem você.
E no último dia do ano, eu te tive em meus braços. Como minha amiga na frente de todos, mas como o amor da minha vida dentro do meu coração, e do seu coração.
Em 2011, descobri o que eu não queria ter descoberto e ouvi o que eu tinha medo de ouvir. Mas você disse eu te amo. E eu acredito em você.
Em 2011, no primeiro dia, eu já tive a angústia que eu não gostaria de ter tido. Porém, nem tudo na vida é como a gente quer. E eu amo você.
Eu topo ter de ser só a sua amiga para todo mundo. Topo ter de te ver fingir que tem outra vida com outro alguém. Topo te ver brigando, chingando, gritando comigo. Topo te ver sair, sorrir sem mim. Desculpa, perdão. Sou egoísta demais ao ponto de pensar que você só pudesse sorrir ao meu lado.
Mas nesse 2011, eu quero mais compreensão. Nesse novo ano quero que você possa deixar de lado tudo de ruim e se entregar a mim tanto como me entreguei a voce.
Então meu amor, 2010 já não existe mais. Agora é o começo de um novo ano. Um ano que nós fizemos nossos planos, nos quais seriam meu ano e seu ano, só nosso.
Mesmo angustiada, saiba que eu te amo, e meu peito está aberto para qualquer ferida que possa fazer, só não a de te perder, porque você levaria embora meu coração e eu entraria em plena loucura.
Feliz 2011. Foi muito bom virar o ano contigo e fazer parte pelo menos um pouco da sua família. Espero passar os outros anos com você também.
Eu te amo muito, nunca esqueça disso.Nunca. Mesmo que um dia eu não esteja mais aqui. Eu te amo, eu te amo muito e você é o amor da minha vida. Eu não preciso mais de ninguém, só de você. Espero que contigo aconteça o mesmo com o passar do tempo, pois eu confio em você e em nosso amor.

Feliz Ano Novo!

É começo de um novo ano, espero que de uma nova vida; melhor. Num ano em que já me sinto mulher, ainda mais. Desejei a mim antes de tudo, paz. Muita Paz. Paz não só paz no mundo como sempre desejam, mas paz dentro de mim. Força e amor. Porém, antes de tudo, peço mais força do que amor. Mais força para aguentar o amor que eu não posso receber. Peço sinceridade, lealdade e menos fraqueza, menos lágrimas, menos choros e menos momentos desesperados ao quebrar meus espelhos. Peço menos fantasmas, ou quem sabe, que eu saiba aprender a conviver com eles. Esse ano não peço que meus sonhos se realizem, não acredito mais em sonhos. Acredito em certezas absolutas e momentos incertos. Peço fé e crença. Não tenho mais fé e preciso acreditar. Peço simplicidade e sobretudo, peço olhares apaixonados da mesma intensidade que o meu. Peço abraços tão intensos como dou, peço carícias e beijos entregues com todo o coração, como os que saem de mim. Peço, acima de tudo, esperança. É a palavra que mais falta em mim. Peço falta do medo e falta de vazio. Principalmente sem medo. Peço para viver sem medo de amar. Que nesse novo ano tenha uma nova vida, pois já não sou a mesma de antes. A mesma do ano que se passou, a mesma de ontem. Peço sinceridade, porque esse é a melhor das coisas que eu posso falar que tenho. Sinceridade ao falar te amo ou a sussurrar em meu ouvido. Sinceridade ao me abraçar a noite e sinceridade ao falar que está entregue de corpo e alma, assim como eu. Nesse novo ano, não peço só sorte. Não acredito mais em minha sorte, acredito em passos certos e errados que me fazem ganhar ou perder. Confio na minha capacidade e incapacidade de inventar ou reinventar, de passar ou não passar, de amar ou não ser amada. Nesse novo ano, peço que não deixe eu voltar a ser só, e muito menos passar a me encontrar com o vazio, ou com a solidão. Peço que não deixe quebrar meus grandes espelhos e me encontrar com o nada e com a escuridão. Nesse novo ano, não peço novo amigos. Já não acredito em novas amizades e posso contar meus amigos no dedo. Peço que eu consiga passar alegria, sorrisos e nada de lágrimas. Se quiserem ver realmente o que eu sou, que venham aqui. Nesse novo ano, não existe mais confiança com qualquer um e não deixo ninguém fazer parte do que eu realmente sou. Nesse novo ano peço felicidade. Peço companheirismo da pessoa que eu amo. Da pessoa na qual eu entreguei a minha alma. Da pessoa que eu entreguei meu coração e meu corpo. Nesse novo ano peço mais maturidade para conseguir enfrentar os baques que a vida insiste em me dar. Maturidade para não chorar e não deixar minha fraqueza tomar conta de todas as minhas situações. Peço menos intensidade. Nesse novo ano espero não fazer de mim tão intensa e tão fraca. Nesse novo ano desejo a todo mundo, paz, força, e tudo de bom. Nesse novo ano, espero ser um ano meu e seu, amor. Nesse novo ano espero que você se entregue a mim da mesma maneira que me entreguei a você. Da mesma maneira que sou capaz de morrer por você. Feliz Ano Novo a todos. Feliz começo de uma nova vida.