Visitantes.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Amor, á você;

Deu meia noite, eu estava contigo. Estava sem minha mãe, meu pai, minhas irmãs. Sem ninguém da minha família e nenhum amigo meu. Senti falta deles, mas quer saber? Minha maior felicidade foi te ter ao meu lado naquele momento. Nunca havia dado tanto importância para alguém a ponto de deixar todos apenas para te-la ao meu lado. Difícil é saber que não seja a mesma coisa contigo. Depois da meia noite, esqueci minhas tristezas, minhas incertezas, minhas lágrimas. Esqueci o mundo. Para que eu precisava do mundo se eu tinha você?Quero te lembrar umas coisas.
Em 2010, eu te conheçi.
Quando te conheçi, já tinha certeza de uma coisa: Teria que enfrentar o mundo, independente da pessoa com a qual eu estivesse, porque amo diferente.
Mas quer saber? Não sabia que amava diferente e muito menos o que era amar.
Quando eu te conheçi, conheçia várias outras pessoas. Escrevia aqui todo dia sobre solidão, sobre vazio e sobre morte, e ninguém conseguia acreditar que eu sentia aquilo tudo, eu era rodeada de pessoas, de colegas, " amigos", festas, namoros, ficadas, sorrisos, manhas. Gostei de muitas pessoas, gostei mesmo. Gostei de amigos e amigas, amava minhas amizades, confiava em todos. Minha vida era assim.
Uma vez me perguntaram, o que tinham que fazer para me conquistar, e eu não sabia. Ou sabia. Respondi. Disse que para me conquistar era preciso chegar a uma parte de mim que ninguém ainda conheçia, que ninguém era capaz de conseguir alcançar. Uma parte de mim que ninguém entendia e que sempre foi trancada para qualquer pessoa. Não acreditava no amor, não acreditava que alguém pudesse me amar de verdade, mesmo sempre dizendo a mim. Não acreditava no amor. Acreditava em paixão. Acreditava em momentos onde o corpo se misturava com as emoções, com a sede de ter alguém e de fazer alguém gostar de você, mas amar não. Eu dizia te amo em vão, porque não sabia realmente o que era o amor.
Quando te conheçi, não ia deixar eu me entregar. Nunca deixei, nunca me permiti. Sim, gostava de você, te amava. Talvez te amava como pensei que amava, mas na verdade acho que era um fogo de paixão, e depois, passou a um amor incontrolável. Nunca quis proteger ninguém, sempre quis que me protegessem
E em 2010, com o passar dos meses, me apeguei. Tivemos momentos inesquecíveis lembra?
Lembra do nosso primeiro encontro? Foi a primeira vez que eu levava alguém comigo a algo importante como aquilo. Ninguém entendia como uma coisa assim era importante para mim.
Te levava a praia, víamos o pôr do sol. E nos dias em que sentamos na areia, no fim da tarde, e eu chorei dizendo que te amava, você se lembra? Ali, percebi que não tinha mais jeito, começei a me entregar.Te jurei amor eterno.
Quando dormi a primeira vez na sua casa, acordei junto a você, e queria que aquele dia não acabasse. E no dia em que você conheçeu minha mãe, e eu te apresentei como minha namorada? Lembra?
Em 2010, você teve uma surpresa. Um jantar a luz de velas, você lembra? Era música, nossos dois amigos, uma rosa vermelha entregue a você, o violão tocando, fotos de nós duas, cartas. E você lembra da última? Achou que a surpresa havia acabado, mas na verdade, tirei de um lugarzinho escondido, uma caixinha branca com uma fitinha rosa. Lembra? Eu tremia tanto que não consegui nem olhar em teus olhos. E depois? Você lembra da caixinha preta, com nossas duas alianças? Naquele momento acho que você percebeu que eu estava resolvida a passar a minha vida inteira com você. Pedi a sua mão em casamento.
Em 2010, passamos a noite na praia, debaixa do céu negro, totalmente estrelado. A lua era intensa, e parecia nos cobrir com seu brilho. Só tinha nós e nossos amigos. Estava frio e sentia seu corpo me esquentando. Foi a primeira vez que passamos a noite juntas.
Em 2010, tivemos tantas brigas. Brigas que me fizeram pensar em perder você, mas só de pensar, meu peito doia com uma angústia tão forte que não pensava mais. Me decepcionei tanto, mas me alegrei tanto. Sorri e chorei tanto.
Em 2010, resolvi deixar tudo e TODOS. Não precisava mais de ninguém e me fexei em um mundo diferente. Me entreguei mesmo a você. Só em dizer eu te amo, as lágrimas correm em meu rosto. Me tranquei em seu mundo e deixei a minha vida para começar a viver a sua. E errei nessa parte. Desculpa, começei a te amar tanto que ... não sei te explicar. Parei de ir a qualquer lugar sem você, não conseguia, não consigo. Nada de rua, de shopping, de amigos, de festas, de reuniões em família, de liberdade. Não consigo mais ter liberdade, me prendi a você.
Em 2010, me formei. Mas quer saber? Não tive vontade de ir, porque você não estava lá para me dar parabéns como minha família estava. Fui embora tão rápido que deixei todo mundo para trás, eu só queria chegar em casa e falar com você.
Em 2010, eu virei meu mundo de cabeça para baixo. Você se lembra de todas essas coisas? Eu reelembro isso todas as noites.
Em 2010, amadureci de em um relacionamento intenso e forte, que eu penso ser para a vida toda.
E toas as vezes que íamos ao shopping e ficávamos olhando uma para a outra sem poder nos tocar? E quando eu pedi você em namoro na mesma hora em que você pediu a mim? Lembra?
Eu me entreguei a você de corpo e alma. Dediquei meu coração e minha vida a você, e todo o medo que eu tinha em amar alguém, deixei de lado. Todo o medo e a preguiça de saber o que é o amor. Novamente, digo que me entreguei. Passei dias chorando sem ter você para me abraçar a noite, dizendo que tudo vai ficar bem e que você me ama. Como aquele dia em que dormi sozinha no chão sem você.
E no último dia do ano, eu te tive em meus braços. Como minha amiga na frente de todos, mas como o amor da minha vida dentro do meu coração, e do seu coração.
Em 2011, descobri o que eu não queria ter descoberto e ouvi o que eu tinha medo de ouvir. Mas você disse eu te amo. E eu acredito em você.
Em 2011, no primeiro dia, eu já tive a angústia que eu não gostaria de ter tido. Porém, nem tudo na vida é como a gente quer. E eu amo você.
Eu topo ter de ser só a sua amiga para todo mundo. Topo ter de te ver fingir que tem outra vida com outro alguém. Topo te ver brigando, chingando, gritando comigo. Topo te ver sair, sorrir sem mim. Desculpa, perdão. Sou egoísta demais ao ponto de pensar que você só pudesse sorrir ao meu lado.
Mas nesse 2011, eu quero mais compreensão. Nesse novo ano quero que você possa deixar de lado tudo de ruim e se entregar a mim tanto como me entreguei a voce.
Então meu amor, 2010 já não existe mais. Agora é o começo de um novo ano. Um ano que nós fizemos nossos planos, nos quais seriam meu ano e seu ano, só nosso.
Mesmo angustiada, saiba que eu te amo, e meu peito está aberto para qualquer ferida que possa fazer, só não a de te perder, porque você levaria embora meu coração e eu entraria em plena loucura.
Feliz 2011. Foi muito bom virar o ano contigo e fazer parte pelo menos um pouco da sua família. Espero passar os outros anos com você também.
Eu te amo muito, nunca esqueça disso.Nunca. Mesmo que um dia eu não esteja mais aqui. Eu te amo, eu te amo muito e você é o amor da minha vida. Eu não preciso mais de ninguém, só de você. Espero que contigo aconteça o mesmo com o passar do tempo, pois eu confio em você e em nosso amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário