Visitantes.

domingo, 15 de maio de 2011

-

Me sinto uma criança. Desesperada e reprimida. Com sonhos despedaçados, tremores esgotados. Uma vontade de voar tão grande capaz de levar meu corpo para a frente da janela. Sinto meu corpo desesperado precisando, chamando, clamando, gemendo e gritando pelo teu. Sinto minha boca cortada, estraçalhada, manchada, com saudades do teu beijo. Sinto meu corpo vazio, pesado, estressado, com saudade do teu sexo. Sinto minha carne perfurada. Minhas mãos vazias. Sinto falta do teu abraço, meu amor. Dos dias em que você dizia sentir falta do meu beijo, sentir vontade de estar comigo. Me faça parar de chorar, eu não aguento mais.

Tudo posso por você.

Quando jurei a mim te amar eternamente, estive sendo sincera, tanto para mim como para você. Cada vez que consigo lhe ter comigo, me sinto tão completa que esqueço que o resto do mundo existe. Sei que, ando com saudades de sentir você por completa e sentir o quanto eu te faço feliz. Ando com saudade de ver em teus olhos o brilho daquela paixão. Ando ainda, com saudade de sentir tuas mãos involuntariamente tocando a minha pele. Porém, preciso que você saiba que não sou feita só de paixões que precisam ser correspondidas, muito menos de prazeres que podem ou não acontecer. Sei diferenciar a paixão do amor. E eu, não sinto só paixão por você, eu te amo. Só preciso, aqui dentro de mim, acreditar que você me quer tanto como eu preciso sentir você. Eu não só quero, eu preciso. E, eu aqui, vou contentar-me o quanto tempo for só para lhe ter ao meu lado, mesmo longe. Eu, te amo tanto que posso lhe ver andando ao meu lado como amiga, posso não encostar a mão na tua, e ainda posso ser proibida de olhar fixamente em teus olhos. Posso te ver e não te beijar, posso viver assim dias, meses. Posso, ainda, ter de verem olhar para você sem saber que ali ao lado está alguém a quem você está e que lhe ama. Posso ter de lhe ver em escondido, fingir, mentir para que não descubram. Posso deitar sozinha em minha cama e imaginar que você um dia, pode estar nos braços, no coração e nos olhos de outro. Posso tentar ter uma vida normal e não conseguir. Caminhar sozinha. Ir ao cinema e ter de ficar com medo, com vergonha, com receio de que percebam que você é muito mais que minha amiga. Posso aturar brincadeiras de outros, preconceito, convenções. Posso chorar sozinha, como agora. Posso te esperar sair da escola, sozinha ... uma, duas, três, até quatro horas, só para lhe ver sair linda, sorrindo. Mas também, posso me contentar, depois de lhe esperar, de ser apresentada como ... amiga. Posso passar horas dentro do ônibus só para lhe ver dez minutos, te colocar no seu e sair sozinha indo para casa. Posso ter que passar despercebida e até mesmo aceitar você andar de mão dadas com outro só para tapear esse preconceito. Posso ser quem eu não sou. Tapear essa gente que nos condena na rua, só de andarmos de mãos dadas. Posso segurar a minha vontade de lhe beijar. A minha vontade de pegar sua mão e andar como qualquer outro casal pode. Posso sofrer com ciúmes, com ilusões, com pensamentos que podem nem vir a acontecer. Posso chorar junto com você e não poder te abraçar, para ninguém nos ver juntas. Eu de um lado, você de outro. Posso dizer te amo depois de uma briga sem poder olhar em teus olhos, escondendo meu rosto, só para ninguém perceber que eu estou chorando, soluçando, desesperada com o medo de te perder. Posso ser só a sua amiga, posso, posso sim. Para os outros, para mim e você não. Parece até absurdo, mas não é. Eu sou capaz do impossível, porque se eu vier a sofrer, que seja sozinha. Não importa se eu posso ou não posso, porque eu tenho você, mesmo longe de mim. Eu, ao menos, posso lhe ver todos os dias que eu quiser, ter ciúmes, saber que você está para mim assim como eu estou para você. Não é verdade? Preciso sempre saber que sim, é verdade. E mesmo se eu mereço ou não te ter, eu lhe quero. Muito mais do que a mim, e cuido desse amor como meu bem mais precioso. MAIS PRECIOSO. Tudo vai, tudo vem, até meus ciúmes exagerados, mas meu amor, sempre estará aqui. E se um dia eu lhe deixar, será porque eu saberei que não está feliz comigo. Porque eu sei que, mais que a minha felicidade, está a sua. E eu, posso passar por tudo isso, porque eu te amo tanto que não importa nada, eu só preciso saber que você também me ama e que quer ficar comigo para um sempre eterno. Sem curiosidades, sem medos, sem angústias, sem segredos, sem preconceito. Eu vou lutar sempre por você, mesmo que o mundo todo tente acabar comigo. Eu te amo muito, muito mesmo.

sábado, 14 de maio de 2011

A minha vida é tua.

Como poder imaginar a minha vida sem você? Se a vida tentou encaixar as nossas vidas talvez seja porque queira juntar os nossos destinos para um sempre eterno. Imaginar meu corpo sem o teu é imaginar a minha alma pela metade e meu coração em pedaços. É perder todos os hormônios que me fazem criar essa paixão que eu sinto por você. Minha menina, minha menina. Se você soubesse o quanto é bom poder olhar para você e saber que é minha e sempre será minha. Por mim, e por você? O que eu faço? Deixo você livre para escolher entre a mim e o mundo ou lhe dar a oportunidade de viver sem mim por completa? Onde eu encaixo esse medo pavoroso que consegue me tirar o sono e mudar as minhas verdades? Ah deus, eu só quero que você me abrace bem forte, como não acontece a algum tempo. Só quero ver teus olhos brilharem e tua vontade de encostar teus lábios nos meus. Só quero não ter mais medo de lhe perder e saber que está entregue á mim tanto como eu. Mas e agora? Eu preciso ter você pelo resto da minha vida. É você quem sustenta meu corpo e quem consegue me fazer ser feliz. Tempo nenhum no mundo seria capaz de diminuir ou apagar tudo o que sinto aqui dentro. Dentro de um eu tão interno que até posso chamar de você, pois dou teu nome para tudo o que tenho dentro de mim. Ah Deus, o que eu faço com esse pavor tão intenso e esse fantasma que me faz ser tão grossa e impune ao pensar que você, o amor de toda a minha vida, possa sentir algo por outra pessoa. E o que eu faço? Sei que, você consegue ser tudo o que eu sempre imaginei, o que eu sempre sonhei, e nunca, em todas as horas que eu viver, irei me arrepender de ter conhecido, amado, sofrido, chorado e sorrido com você e por você.

Feliz Aniversário melhor amiga.



Oi melhor amiga linda. Antes de começar a escrever aqui para você, quero pedir desculpas por não ter conseguido te ver e ter falado com você hoje. Queria ter te dado os parabéns e um abraço forte, como em todos os anos eu dou. Por isso me perdoe, esse ano não consegui falar com você. Que melhor amiga eu sou não é? Espero que você me perdoe. Porém, agora vamos ao que interessa.
Melhor amiga, quero te desejar um Feliz Aniversário. Muita, muitas felicidades para você e para todas as pessoas que estão ao seu redor. Sei que não ando fazendo meu papel de melhor amiga, mas saiba que eu te desejo tudo isso e que sempre desejarei. Quero dizer que eu nunca vou esquecer todos os nossos momentos juntas, em que eu pude confidenciar meus segredos e ouvir os teus. Em que passamos os montes atrás das pessoas que nós sempre amamos e que sempre fora impossível conseguir. Quero dizer que nunca vou esquecer o quanto você foi e é importante em minha vida. Minha melhor amiga. O quanto eu cresci ao teu lado, lembra? Não vou esquecer nunca de quando você me defendia porque eu ainda não tinha voz o suficiente para falar, e o quanto você tinha força para me levantar quando eu ainda não conseguia. Quero dizer que eu te desejo tudo de bom, hoje, amanhã e sempre. Que você sempre consiga alcançar todos aqueles sonhos que estão dentro de você, e os novos que ainda vão aparecer. Sinto saudade de poder te dar e receber conselhos. Porque cá pra nós, você conseguia me dar os melhores conselhos, tanto que com sua mão conseguia me tirar do fundo mais profundo. Muitas vezes você me trouxe a realidade não é amiga? E eu te amo tanto. Todas aquelas coisinhas que fazia no meu aniversário, as surpresas, os ovos, as flores, as cartas que eu ganhava sempre. E as que eu te dava, com aquelas baboseiras que a gente escrevia, como as borbovacas e as vaquinhas. Eu dizia que nunca ia te deixar e que eu nunca iria esquecer você. Que eu ia ter meus maridos, meus filhos e você também, e eles iriam namorar, e também morar todos juntos, você lembra? ( Como tudo muda, agora nem mais marido vai existir KKK) Nos teus aniversários ou no meu, dos das meninas, do da Susuh ( quando eu tomei meu primeiro porre KK) Foram tantas coisas que eu nunca vou esquecer e sei que você também não vai. Nossos ciúmes ( porquê a melhor amiga é só minha e de mais ninguém) nossas risadas, brincadeiras, brigas, choros. Ai amiga, como eu sinto saudade de chorar com você quando alguma coisa dá errado e rir com você quando for engraçado. Eu sei que você vai ser muito feliz, vai encontrar alguém que te faça feliz assim como eu encontrei. Vai encarar a vida com a cara para o vento, e nunca desistir de nada. Sabe porquê eu sei disso? Porque eu sempre vi em você alguém forte tão capaz de me proteger e me ajudar que até esqueço que você também é fraca por dentro. Assim como todo mundo, mas é diferente porque eu sei que você consegue sempre ficar bem e se reerguer.E nesse seu aniversário, mesmo eu não estando aí com você, quero dizer que estou aqui querendo muito te dar um abraço e dizer o quanto eu te amo e o quanto eu quero te ver feliz. Quero que hoje seja um dia especial para você, muito mais do que os outros, porque hoje é seu dia, só o seu dia. Quero desejar tudo o que todo mundo deseja e muito mais que isso, tudo bem? ( vou chorar aqui). Quero agradecer por tudo até hoje, nesses anos que se passaram e mesmo com a minha ausência por saber que você ainda me tem como amiga. Como melhor amiga ninda não é? Amiga, parabéns para você. Você Jéssica, merece tudo de bom que existir. Eu te amo muito melhor amiga, muito. Obrigada por tudo até hoje, teus conselhos conseguiram me fazer chegar até aqui. Feliz Aniversário!

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Eu só quero você.

Eu só quero você para poder ninar antes de dormir. Para acariciar o teu rosto e te ver sorrir. Para acalmar a tua alma e te proteger. Caminhar levemente por entre os caminhos tortos e assombrosos, te ver viver. Eu só quero segurar a tua mão e gritar amo você. Poder dormir em teus braços quentes e macios, onde nunca, acharei em qualquer. Eu só quero olhar em teus olhos cor-de-mel e ver meu reflexo nas superfícies e nas entranhas da sua alma. Eu só quero escrever nas palmas da tua mão o meu amanhã, e nos toques dos meus dedos a tua exatidão. Eu só quero segurar o teu braço e te fazer voltar quando queres ir. Quero, apenas, dizer que você está linda esta manhã. Esta tarde. Esta noite. Quero, contudo, beijar-lhe a testa e poder ler teu sorriso e teu mau humor quando acorda. Te preencher de suspiros e te matar de desejo. Quero, mergulhar dentro da tua alma e compreender os teus mistérios mais fortes e acabar com teus medos mais pavorosos. Quero te ver dormir e acordar. Além disso, poder lutar contra aqueles fantasmas que não nos deixam nunca. Quero te levar para jantar, ouvir você telefonar, passar as datas contigo. Quero anoitecer, virar a noite ou mesmo ver o pôr do sol debaixo das tuas asas de anjo. Que anjo! Meu anjo! Quero muito mais do que apenas te chamar de minha. Quero pegar sua mão e colocá-la em meu peito para que possa sentir meu coração completamente drogado e encarcerado pelo que sinto por você. Quero muito mais do que querer. Quero muito além do que imagino ter em minha mente como querer.

Inexistente.

                  Havia uma princesa
                  Dentre os candelabros enrijecidos
                  Pedindo para Deus
                  Um perdão inexpressivo.

                  Via além; Do alto da montanha
                  Seu destino já traçado
                  Sua vida entre montes
                  Seu mundo tão parado

                  Foi amante, prostituta, apaixonada
                  Naquela vida assombrosa
                  Em que o encanto tão sonhado
                  Não era mais nem cor de rosa;

                  Via dentre espelhos quebrados
                  O vai e vem de sua alma
                  E, dentro dos seus olhos
                  A pobreza não amada

                  Se pudesse gritar
                  Mas além gritaria
                  Transformaria a vida de fumaça
                  Em completa alegria

                  Mas, o tempo tão injusto passou
                  Como a vida passa em filme
                  Naqueles olhos tão sombrios
                  Um poder entristecido

                  Pedia a Deus; Um qualquer Deus
                  Para livrar-lhe da dor
                  E, no escuro da noite
                  Ajoelhou com fervor:

                  - Pai, grande pai, ajude-me
                  Não há nem mais força
                  Não há nem um sorriso
                  Nem um, nem outro.

                  Esbravejou, gritou, gemeu
                  Mas nada naquela redondeza
                  Logo, aconteceu.

                  Com lágrimas de sangue
                  Fechou os olhos
                  E, a princesa tão sonhadora
                  Logo, empalideceu.

Verdades (?)

Estendeu-se a mão pois não havia voz
E, o silêncio corria entre os olhos vazios
O cigarro entre os dedos pequenos
Não haveria sorte, nem equívocos;
Distantes, a infância não existia
Eram meras vontades.
Não existia nem brincadeiras
Só dor; Sem piedades
E, ainda, falam de ignorância
Casal gay é pecado
Amor não mais importa
Pois isso é errado
Porém, pode tudo natural
O mendingo na rua;
A criança no sinal
E dizem que, precisa paz
Mas o mundo ignorante está aqui
Relacionando o bem e o mal

Se há verdade absoluta,
me digam agora:
Amar é pecado?

terça-feira, 10 de maio de 2011

Minha certeza.

Vou assim, dizer uma coisa a você: Já lhe disse milhares de vezes que você é tudo para mim. Sabe, se eu parar para pensar que um dia posso lhe perder, ou que você me deixes, meu coração bate tão forte e incontrolavelmente que não consigo nem ao menos cobrir meus olhos. Você consegue ver em meus olhos o quanto você é importante para mim? Consegue? Não quero que me julgues, eu apenas quero dizer ao mundo que eu sou completamente apaixonada por você. Queria mostrar ao mundo que você é o amor da minha vida e o quanto esse amor é lindo. Porém, sei que é impossível. Quero é poder, ao menos, te dar a melhor vida que alguém pode ter. Quero também lhe dar todo o carinho que posso ou que seja impossível. Pretendo fazer o impossível por você, até mesmo o de fazer o mundo virar de ponta a cabeça para poder te ter ao meu lado, ou pelo menos te ver feliz. Pois quer saber? Não importa se eu posso ou não lhe ter, porque você ter existido em minha vida foi o melhor presente que eu poderia ter ganho, por isso, vou cuidar desse amor até quando não tiver forças para viver. Quero você ao meu lado hoje, amanhã e quem sabe até em mundos desconhecidos. Pois o que eu mais tenho é a certeza de que eu quero você para ser a mulher da minha vida. Eu te amo muito, com todas as forças que existem em mim. TODAS.

As horas.

As horas se misturaram. O barulho do relógio me pertence
A água que cai do céu está vida. Meus dedos tão mortos.
Na antiga beleza, encontro meu encanto
Apenas com os olhos fechados, com mesclas de desencanto.
Parece morto. Uma grande ficção ... Parece inconfundível
Algo sem completo perdão.
As horas, tão complexas. Passam e batem em minha cabeça
Quando meu coração impune te espera ao redor do tempo.
Luto! Grito! O tempo não consegue parar.
Eu queria muito, meu bem. Ouvir o teu respirar.
A saudade aperta, antes tão inútil. Porém, agora,
por impulso, tão covarde, tão culpado, tão ferido.

(...)

Esquivei-me dentro dos pesares. Fui réu.
Uma beleza efêmera que logo vá. Logo, além.
Fui num momento a alegria. Fui noutros a tristeza
Hoje, sou a moradia. Um lar de grandes letras.
Voando diante de mim.
Procuro uma clareza ilegível. Uma grande surpertição
No nada encontro tudo. Tudo em grande lentidão.
Não tenho medo de morrer, muito menos de perder.
Tenho medo de viver. Da vida e da mornidão.

Prazeres.

Tudo o que vejo, se transformou em nada
Assim como o inútil grito de socorro
Um desvaneio, um desconforto.
As palavras me sambam entre as estrelas
Numa bruma de correntes escurecidas
Posso sentir o calor do vento
Nos candelabros esquecidos.
O sangue pulsa em minhas artérias; A lua está fininha
Meus olhos tão avermelhados.Tão aborrecidos
São prazeres encarcerados. Mutilados. Denegridos.

As nuvens então se encontram. Se batem. Se amam
Como meus lábios em teu corpo.Como um fogo
Enlaçando na tua chama.
E,nesta hora, um pavor tão acometido
A noite é tão intensa; Mas meu prazer
Ocultado. Escondido.

Escrava.

Eu te amo tanto que anda impossível respirar sem ter você ao meu lado. Não sei mais o que pensar e muito menos o que fazer. Não consigo mais caminhar sem você. Hoje, você é a muleta que consegue fazer com que meu corpo ande e alcançe as linhas tortas do meu destino. Um destino escrito por você. O que eu faço quando o medo de lhe perder me mata lentamente e o pavor de te tirarem de mim enfraquece o meu corpo? Eu sou uma escrava do teu amor.

Convenções.

É muito difícil ter de viver por convenções, viver por certo ou errado. Queria tanto ser livre para amar como ser livre para voar. Sou livre o suficiente para amar você sem vergonha e sem medo? Será que um dia poderemos gritar ao mundo e deixar o vento levar o nosso nome entre as moitas e entre o escuro da noite silenciosa? Eu quero é poder voar entre as nuvens do teu sonho e poder prendê-la em mim. Posso? Eu consigo? Pois nada em mim existe sem você, mas e essa vida tão difícil? Digo a você que nada é fácil, muito menos nosso amor. Nosso amor é forte e fraco. Não temos voz o suficiente para gritar e pedir socorro ao mundo, pois o mundo não pode ... não quer nos ajudar. Por mim e por você? Sei que moveria montanhas, mundos e até morreria para nascer de novo e conseguir lhe encontrar. Viajar mundos e décadas, vidas e mortes para sentir novamente o que eu sinto por você. Porque é tão difícil pegar na sua mão e conseguir andar sem medo? Porque é tão difícil chorar e não poder lhe abraçar? Porque é tão difícil ter de dizer para todo mundo que eu amo você? A minha mulher? Porque é tão difícil ser diferente de um mundo diferente. Ser diferente de um mundo diferente seria ser igual em um mundo igual? Ou diferente em um mundo igual? Não sei, não sei de nada. Você sabe? Sabe em todos os momentos em que eu posso dizer que você é a minha namorada e não a minha amiga. Sabe o que eu sinto? Não, nem eu. Sabe o que eu sinto quando não posso pegar em sua mão e dizer que é apenas a minha amiga? Não, nem eu sei. Me sinto presa o suficiente para morrer lentamente por dentro. Um dia eu vou poder não precisar ter ciúmes? Um dia eu vou poder te ter ao meu lado todas as horas do meu dia e poder acariciar o teu rosto sem medo de sermos descobertas? Ah deus. Eu te amo tanto. Posso gritar para você ouvir?

Meus dias (...)

Eu tento engolir meu choro. Minhas lágrimas podem ter cheiro e gosto de sangue. Eu tento respirar normalmente. Tento, mas apenas suspiro. Eu tento apenas sorrir. Eu não consigo. Tento descansar, mas apenas durmo. Tento sonhar, mas os pesadelos atraem meus medos. Não sei pensar em um futuro sem o medo de perder-te. Não sei viver só de presente. Não me apego mais ao passado. Tento matá-los. Tento lutar contra eles. Tento cortá-los. Tento diminuí-los. Não consigo acabar com os monstros do ciúme. Não consigo enfrentar os fantasmas dos meus medos. Quero lutar contra o mundo! Sei lutar contra o mundo. Não sei lutar contra mim. Quero gritar, mas não consigo. Quero pegar tua mão e avisar que lhe amo, mas não podemos. O mundo nada pode contra meu amor. Meu amor tudo pode contra o mundo. Mas meu medo tudo pode contra minhas certezas.Não há dúvida quanto esse amor. Nem contra o medo. Não há dúvidas quanto o que quero ser. Não há dúvidas que ser diferente é o que vou ser até não mais existir. Diferente do mundo. Diferente do normal. Do convencional. Não há dúvidas. Há certezas. Há medo. Há muito medo. Vou pedir-lhe para segurar a minha mão? Pedir-lhe para não ter dúvidas num amanhã qualquer? Vou pedir para deixar de viver sentimentos que não posso controlar? Vou apenas pedir para me amar. Como agora. Como hoje. Engolir meus medos. Tapear minha insegurança. Esta noite. Pelo resto das noites. Dos meus dias.

Aonde?

O que eu faço nesta noite assombrosa e lamentosa? De verdades infundidas pesares esgotados sorrisos entristecidos. Sem respiração. Sem pausa. Nesta noite escurecida, de lágrimas empalidecidas e de suspiros silênciosos.
O que eu faço?
Para fechar os olhos, onde teria de chegar. De reconhecer a realidade do certo e do errado de um real que não existe. Para silenciar sem perceber, queria gritar ao mundo e me recolher. Para gritar seria necessário voz.
Aonde encontrar voz? No teu olhar? No teu beijo?
Encontro voz no escuro da noite e nos teus braços que me fazem rir e chorar.

Medo

Que lugar é esse onde não consigo respirar? Onde minhas vísceras se quebram e o meu sangue jorra de meus olhos. Que aperto tão aflitante que me pega pela mão e convida-me a dançar entre juras e promessas de amor. Que promessas que saem de um ser que chamo de eu e desagua na realidade que chamo de você. Não são lágrimas. Apenas lágrimas de um sangue manchado. Viciado pelo teu amor. Criado pela paixão dos teus olhos. Diga-me para não segurar meu corpo quando lhe vejo. Deixe que minha garganta arranhe com as palavras que lhe digo e me sufoque entre exageros e ciúmes. Vida ou morte. Não me deixes aflição, prefiro que me encontre com a morte de um interior inerte ao medo, sem vazio ou solidão.