Visitantes.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Voe.


" Voe por todo o mar e volte aqui, pro meu peito [...]"

1 ano e 7 meses.


Era uma tarde ensolarada. Eu e meus amigos esperavam-na para então, podermos sair juntos. Desde o começo, engraçado, fomos á um Sarau de Literatura. (Como éramos diferentes) Eu lembrava dela vagarosamente, lembrava dos seus olhos. Depois de tanto esperar, ela chegou em minha direção. Não vou dizer que naquele momento eu percebi que ela seria a mulher da minha vida, porém, naquele momento meu coração bateu tão rápido que eu nem sabia o porquê. Naquele momento, senti vontade de pegá-la para mim e trancá-la em meu mundo. Que coisa! Foi isso que eu fiz, sem saber que isso a levaria para longe. Depois daquele momento, as coisas foram mudando, o próprio mundo, começou a girar ao contrário. As pessoas ao meu redor não estavam mais me fazendo sorrir, e apenas ela, conseguia fazer com que meu corpo vidrasse. E se passaram os dias, horas e horas sem desligar o fone. Horas e horas olhando nos olhos da outra, no meio da rua, sem poder pegarmos na nossa mão. Brincadeiras e até formspring real. Ali, a conheci tanto que me desconheci, até. " Eu acho que estou me apaixonando por você, eu não posso"; " É, eu também acho que estou. E agora? ". E nos damos as mãos. Consequentemente, nossa paixão foi se transformando, e virou assim, amor. Que amor! Todos perceberam, impossível esconder. Começar a namorar em casa então, que passo grande na minha vida. Passar por todo o preconceito, por todas as barreiras e continuar aqui, tão firme, mostrando que eu amo alguém e que esse alguém faz parte do que eu chamo de todo de mim. Todos perceberam aqui, acredito que sim. Na escola, em casa, na faculdade, na rua. Deus, eu só queria pegá-la pela mão e passear na rua, fazer carinho em seu rosto e não precisar ter medo de que alguém nos faça mal. E ela me pediu em namoro no mesmo dia em que eu ia pedir. Na mesma hora, no mesmo lugar. Selamos uma paixão que crescia tanto que já não cabia dentro de cada uma. Era preciso que nos juntássemos para então, que coubesse nesse alma que passou a se entrelaçar. Escrever sobre morte? Sobre solidão? Tristeza? Não. Os sentimentos que começaram a aparecer dentro de mim foram tão fortes que conseguiu mudar toda a minha capacidade de enxergar a vida. De ler o mundo. E caminhamos infinitas vezes pela praia debaixo do céu estrelado. E vimos o sol desaparecer no Arpoador. E dormimos tão abraçadas que seria capaz de uma grudar com a outra. E corremos atrás do nosso sonho juntas. E choramos uma ao lado da outra. Como se estivéssemos casadas, uma cuidando da outra. E na virada de ano, prometendo sermos uma da outra para sempre. E debaixo da lua fazendo promessas e juras de amor. E no nosso jantar a luz de velas, e quando eu coloquei o anel de compromisso em seu dedo, entreguei um poema e em lágrimas dizia que ela sim, era a pessoa que estava escrita em meu destino. Quando eu passei no vestibular, quando contávamos o dia. Aguentar ficar três dias incomunicáveis com ela. Nossa! Eu quase morri do coração. É, quanta coisa ... Nos baseamos tanto na verdade, e a verdade a tirou de mim. Eu ainda acredito que você volte, acredito que nosso destino sempre esteve escrito em algum lugar. Acredito que nossos caminhos ainda vão se cruzar. Ainda não entendo o porquê do universo querer brincar com toda essa dor que me consome dia após dia. Hoje, completamos 1 ano e 7 meses ... Posso continuar contando? Primeira vez que não escrevo uma carta para você, e que não recebo a sua. Primeira vez que em essa data não possa dizer " Parabéns meu amor". Primeira vez que eu não tenho você. Por isso, mesmo sem ouvir a tua voz doce eu estou aqui para dizer-lhe Parabéns. Eu te amo muito e você está fazendo falta. Muita, muita falta, porque sem você já não sei mais em que caminho continuar.
Te amo minha menina. Eu te amo, de verdade.
Saudades ... saudades.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Leve ...


Susurrei como se você pudesse ouvir meus lamentos. Como se ainda a tivesse entre meus braços. Como se nada disso estivesse acontecendo. Como se ainda existissem lágrimas para serem choradas. Perdoe-me a fraqueza! Estou mórbida, morna, morta.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sonho realidade.

Essa noite eu tive um sonho. Deus, que sonho! Nele, você segurava meu rosto e encostava nossos lábios tão incansavelmente, que nos fazia perder o ar, como eu não sentia há muito tempo. Você pedia pelo meu corpo que eu, como se ainda houvesse como, me entregava ainda mais à você. E tudo mudou de lugar. Tudo ao contrário. Nele, eu somente permanecia em silêncio. Nele, você despejava palavras amorosas e carinhos que diziam-me: Nunca mais vou te deixar. E tuas lágrimas se misturaram às minhas, e o barulho do vento se misturou aos nossos soluços, e as nossas almas se misturaram, e nossa respiração se esgotava, e eu me afogava, depois que acordei e percebi que você não está aqui. Teus desejos que não são mais meus, a tua boca, nem é mais minha, os teus olhos, quais nem vejo mais. E minha vida, que sempre será tua. Hoje, depois de acordar, vou ficar aqui. Que se dane essa manhã, que se dane abrir os olhos, que se dane se querem que eu levante. Essa manhã, vou continuar aqui, imóvel, esperando que este sonho traga-me você. Vivendo em uma ilusão este momento que espero, vire realidade.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Sonhos.

Eu sinto a tua falta, menina. E esta noite, sonhei com as tuas promessas e em meu quarto senti o teu cheiro. As pessoas me olhavam, e eu não enxergava ninguém, nem eu mesma. Por isso, venha me salvar de mim. Nestes sonhos, traduza-me o que a solidão tanto me sussurra. Espero mesmo que esteja aqui para puxar-me de volta. Seus olhos, tão penetrantes. Por favor, não pare de olhar nos meus. Não, não diga nada, apenas me contorne com teus braços esta noite. Com palavras soltas, frases embaralhadas, suplico que lembre-se que estarei aqui para lhe fazer sorrir, mesmo que eu precise chorar. Acorde, então, meu coração incontrolável que já está dormindo, ou seria, desmaiado. Mostre a eles que você está aqui. Me ajude a libertar meus sonhos deste pesadelo. Silêncios já não bastam.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Preconceito.


É tão difícil ser diferente. Ser diferente das convenções, não querer ser submetido a ideologias. É completamente mais difícil ainda, lutar contra toda sociedade que te olha de maneira torta. Porque você sim, é errado. Você sim. é o que Deus abomina. Sabe, já passei dessa fase de ficar me remoendo e querendo esconder quem eu sou. Hoje, só não pego a mão dela porque ela não está mais aqui comigo. Mas quer saber? Eu vou esperá-la e vou lutar contra todo esse pré- julgamento. Pode me ver daí, meu amor? Eu vou lutar por você sim, espero que você volte e lute por mim. E quer saber também? Gosto de ser diferente. Gosto mesmo! E vou ser diferente sempre, pois isso não forma meu caráter. Não procuro liberdade mais, sou livre dentro de mim e sou livre para dizer que sim, sou diferente de muita gente (se bem que hoje isso anda tão comum. Eu queria tanto lutar por todas as pessoas que não podem ter voz para dizer que também é diferente. Não aguento mais essa nojeira de preconceito, não aguento mais essa força que tenta puxar, todos nós, que não somos como querem, para baixo. Quer saber novamente? Sempre vou ser assim. E você meu amor, me dê a sua mão para irmos de contra á toda essa convenção? Te carrego em meus ombros se quiser. Só peço para que volte um dia e me dê a força para lutar novamente contra essa sujeira toda. Minha menina, eu sou a sua mulher!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Por favor.

Esta madrugada, vou seguir na noite negra. Sentarei na areia na qual segurei-a em meus braços. Darei minha alma para o mar. Gritarei para a lua. Seria inútil respirar? Eu pediria para que a lua lhe devolvesse para mim, mas sim, seria inútil. Meus sonhos, entrego para o vento? Em minhas mãos, sinto os grãos de areia correrem entre meus dedos. Essa dor está me matando, pouco a pouco ... rapidamente. Queria implorar para que volte. Agora? Agora, o que eu faço da minha vida? Estou sentindo cheiro e gosto de sangue. Sem ar. Sem sonhos. Os fantasmas da noite me carregam. Cadê você para me fazer sorrir? Não, não consigo andar na noite, apenas rastejo entre os grãos. Apenas fecho os olhos diante do véu da escuridão. Apenas me afogo em mim, e diante das montanhas vejo você. Vejo teus olhos que não consigo mais alcançar. Aqui, estou sumindo lentamente. Estou! Não sei dizer, não sei nem se estou sabendo sentir. O que é isso? Lua? Me responde. Deus? Aonde? Eu entendo que tens de ir, porém, não entendo como viver assim. Estão sentindo? Nem sei mais se eu estou. Crave em mim, ó fantasmas de minha noite, o punho que me entregue uma dor mais leve, por favor.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

?

PUTA QUE PARIU! CARALHO!
EU TE AMO ... volta.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Luna.

Querida.
Minha Grande Lua.
Tão estrela, na qual o nome, chamo:
Luna.
Tu, que não me destes tua posse,
deste, pois, teu brilho empossado
nos olhos de minha eterna amada.
Luna pequena, tu, que aprendestes a conviver
tão rodeada de estrelas,
porém, tão só.
Tu, minha Grande Lua; Lua tão pequena,
daqui, tão grande em relação a mim.
Tu, na qual separada do Deus Sol
vive apenas na sombra de teus raios
de calor.
Tão sombria quanto a mim, estou aqui,
sem alma.
Tu, na qual alma desespera,
Ouvistes meus gritos?
desesperados, suplicados, pedintes.
Vês? Porque abençoara esse amor,
se levastes aquele brilho para longe?
Para, tão, novamente, distante.
Vou perdendo o ar, Luna.
Me ensina a conviver sem a tua presença,
Minha Luna,
São tão ... e tão intensamente lunática.
Ensina-me a conviver com tua ausência
Porque deixastes Luna?
Porque deixastes que tirassem minha vida,
de mim ? [...]
Luna, como retirar essa dor, esse medo, esse pavor?
Minha Luna,
Não aguento mais.

Carta.

Olá amor,
Eu ia te entregar essa carta, mas não entreguei porque tive a certeza de que eu e você não estaríamos aqui, agora, separadas. Quero mostrar lhe.. Preste atenção.


Se olhar para trás verá meu amor te seguindo. Se esse amor foi tão forte a ponto de nos destruir, saiba que um dia, lembraremos de como foi bom amar uma a outra.
Eu, aprendi a sonhar ao teu lado; Aprendi a entregar meu futuro ao teu. Se hoje não der certo, deixo-a livre para voar e cortar o céu. Deixo-a livre, minha águia. Deixo-a livre para descobrir o mundo. Se voltar, estarei aqui.
Quando a noite cair, você saberá aonde me encontrar. Estarei na lua e a luz das estrelas lhe mostrará o meu amor. Estarei com as mãos estendidas para que meus braços te segurem e te protejam dos teus fantasmas. Ora, se você voltar mais forte e não precisar da minha proteção, ainda estarei aqui, para que você me proteja dos meus fantasmas. Pois, tenha certeza, estarei num abismo esperando que você chegue.
Se for para sempre, leve e guarde meu coração contigo. Segure-o nas tuas mãos; Leve o meu sorriso e meus beijos guardados em teus lábios. Quando a noite cair, beije o céu, eu estarei lá olhando por ti; Quando a chuva molhar teu corpo, guarde minhas lágrimas junto das tuas; Quando o vento gelar a tua face, lembre-se do toque das minhas mãos; Quando acordar seja livre.
Mesmo que não volte, eu estarei aqui, para sempre.
Eu te amo!

domingo, 16 de outubro de 2011

Estarei aqui.

Leve meu coração com você, segure-o em tuas mãos. Quando voltar, entregue-o de volta para mim. Quando voltar faça com que meu peito encontre ar. Quando voltar, segure as minhas mãos e me acorde deste pesadelo, pois eu sempre estarei aqui, esperando que volte para juntar novamente os nossos caminhos. Eu te amo e vou te amar, porque o coração que levou contigo, será o único capaz de amar. Aqui, ficará o vazio que o teu sorriso deixou. Ficarão as marcas das juras e promessas de amor. Aqui, ficarei eu, esperando para que pegue novamente a vida e a alma que eu entreguei á você.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Só hoje.

Eu só queria não ser assim, e preciso que a vida me mude tanto. Por favor, não quero ser tão sensível, muito menos me derramar em lágrimas todas as vezes. Estou tão irritada ... porque não queria gostar de escrever. Estou dependente. Muito dependente. Se eu pudesse, não escreveria nada. Nem me apegaria a rosas, a lua, a chuva, a noite. Queria tanto ser exata, apenas uma. Queria ter os pés no chão. Queria ouvir até mesmo músicas alegres. Queria não ser tão romantica. Queria não despedaçar todas as noites. Queria não chorar, tudo, tudo. Eu só pediria, em uma noite, não precisar tanto de um abraço. Pediria para ser razoável, para que eu não gritasse e não explodisse, para que eu não me recolhesse todas essas últimas noites, abraçada com alguma coisa que tenha o teu cheiro. Eu queria tanto ouvir o teu te amo, não me entenda mal, sei que você me ama. Eu só não queria pedir mais do que você pode me dar. O pior, é que eu sei disso tudo mas não consigo mudar nada. O pior é que eu sempre vou continuar assim, sabendo que sendo assim, continuarei sendo mal e estragando tudo. O que eu faço? Eu só queria deitar e não acordar por hoje, só por hoje.

domingo, 9 de outubro de 2011

Primavera.

Não chove faz tempo, porém, me afogo esta noite. Nesta primavera, cadê as flores que lhe dei? Cadê as juras que falei? Cadê a vida que te entreguei? Nesta primavera não encontro sorrisos, não encontro soluções, não encontro teu amor. Nesta primavera, durmo acorrentada a mim, querendo tanto ser liberta do que estou sentindo. Mas primavera, porque faz isso comigo? Primavera falsa que não me traz flores, primavera falsa que me traz tuas lágrimas, primavera falsa que molha meu corpo com elas. Hoje, daria tudo por um abraço teu. Daria tudo para ouvir tua voz dizendo que está com saudades. Mas a primavera quer lhe tirar de mim . A mesma primavera no qual lhe tive só minha, antes de estarmos aqui. Hoje, te daria o mundo, apenas para ouvir a sua voz dizendo estar com saudades, ou até mesmo dizendo que me ama sem que eu diga. Esta noite, choraria contigo, para não chorar sozinha olhando para o céu. Choraria contigo para não chorar sozinha e morrer lentamente com o passar das horas em que meu corpo já não consegue descansar e dormir.

-


Silêncio. Talvez se resuma a tudo o que posso fazer agora.
Te amo (...

Si te vas ...

Si te alejas de mi lado
Será mi culpa lo se
El haberte lastimado
Me da pena y destroza mi ser

Esta tarde gris si te quieres ir yo entenderé
Pero antes de partir dame algo de ti
Por que no sé

Si te vas
¿Qué voy a ser con mi vida?
Puede ser que se me parta el corazón
Al saber que no regresaras
Si te vas
¿Qué hará mi alma vacía?
Si te llevas lo que resta de tu amor
Solo me quedaré en el dolor

Ya no puedo remediarlo
Fué tan grande mi error
Y no me hacen en reversa
Las agujas de un viejo reloj

Esta tarde gris si te quieres ir yo entenderé
Pero antes de partir dame algo de ti
Por que no se

Si te vas
¿Qué voy a ser con mi vida?
Puede ser que se me parta el corazón
Al saber que no regresaras
Si te vas
¿Qué hará mi alma vacía?
Si te llevas lo que resta de tu amor
Solo me quedaré en el dolor

Tengo el mal presentimiento
Que si te vas de mi la luna llorara
Se va acabar mi mundo si te vas

Reik - Si te vas

sábado, 8 de outubro de 2011

...

Juro, queria tanto ter fé ... talvez conseguiria ser forte, talvez.

Para o sempre.

E sinto uma dor tão forte, intensa e profunda que já não sei como descansar; Sinto um aperto tão nostalgiante que não consigo, nem um minuto se quer, sorrir. Sinceramente, não sei como sair desse lugar dentro de mim. Alguém pode me ajudar? Sinto que estou morrendo lentamente e não encontro lugar seguro para me proteger. Pior. Me proteger de mim. Me proteger da realidade ; Me proteger até mesmo dos meus sonhos. Eu não quero voar; Não quero ser livre; Não quero cair ... Se ao menos eu tivesse ar para gritar, gritaria. Seu ao menos existisse força para implorar, imploraria. Se existisse voz para pedir socorro, eu juro, pediria. Me drogaria, até mesmo me mataria; Covardia. Medo da solidão. Medo de lhe perder. Medo do gelo que tem se tornado o seu te amo. Medo do teu silêncio diante das minhas palavras de amor. Medo da vida. Minha vida. Tatuarei você em minha pele, pois se você for embora, para o sempre que antes era nosso, estará não só em minha alma, mas estará para sempre em meu corpo. E meus sonhos tão reais mesclado no futuro se tornarão cinzas. Cinzas misturadas com a chama ainda vida, do que sempre será meu amor. Se ficar aqui, lembre-se, eu sou escrava do teu amor. Se o vento levá-la de mim, recorde-se, eu ainda sou uma escrava do teu amor. Eu só preciso que segurem minha mão, só preciso que me ouça um minuto: Eu te amo.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

;

O celular está em minhas mãos, juro que quero te ligar. Quero dizer que te amo e quero pedir que nunca me deixes. Só quero que você diga te amo ... só quero ser sua para sempre.

domingo, 2 de outubro de 2011

Te amo.


Eu te amo ... está escrito, sempre esteve, em meu destino e em meus sonhos.
Se lhe tirarem de mim, sempre lembre-se, nossa história está cravada em minha vida, nem que o mundo dê voltas e voltas eu vou te esquecer.

Vida;

Rumo ao nosso destino depositei todos os meus sonhos. Depositei minha vida; Meus caminhos e meu futuro. Passamos por preconceitos e por coisas tão difíceis que se fosse fraco, não estaríamos ainda aqui, juntas. Eu não peço nada em troca, meu amor; Seria tão difícil apagar as linhas que estão escritas em nosso destino; Não sei o que faria com o tempo se você não estiver aqui,com tudo o que caminhei para poder segurar a tua mão e encarar o mundo. O que eu faria com o que sonhei até hoje?

sábado, 1 de outubro de 2011

Perdoe.

Eu só quero fechar meus olhos. Quero apenas deitar meu corpo e me deixar chorar. Quero apenas ficar sozinha e me deixar ser invadida por medos e sonhos que são só meus. Quero desejar á minha dor, força. E quero desejar á minha força, ainda mais dor, pois não sei diferenciar isso daquilo. Não sei nem mais o que são lágrimas. Não sei mais o que é sorriso, pois choro e sorrio ao mesmo tempo, e sofro por não saber o que é verdadeiro dentro de mim. Me perdoe. Está doendo porque eu tenho a leve impressão de que nosso destino pode fraquejar. Me perdoe por eu lhe amar tanto assim.