Visitantes.

sábado, 31 de dezembro de 2011

Adeus 2011.


Bom , hoje é o último dia do ano e não posso ficar sem meu útlimo post não é?
Quantas coisas aconteceram esse ano não é? Como minha vida deu passos para frente e passos para trás. Como esse ano me deu alegrias, sorrisos e tristezas. Como esse ano me trouxe amadurecimento e regressão em várias coisas. Ou não, sei lá. Talvez eu tenha até amadurecido ou talvez eu tenha só regredido, não sei. Entrei o ano prometendo e recebendo promessas e saio aqui, sem as promessas das quais me agarrei. Foram sonhos que realizei, não vou negar. Passei no vestibular e consegui entrar na faculdade. Uffa! Nem parece que foi esse ano que entrei, acredito que eu já esteja nessa fase há muito tempo. Esse ano fiz 1 ano de namoro, comemoração da qual eu nunca havia passado. Esse ano eu vi minha Dulce ... Ow, minha Dulce da qual eu sempre sonhei. Esse ano coloquei aparelho e tirei o vermelho do meu cabelo. Aprendi Espanhol mais do que eu imaginava que pudesse. Esse ano terminei o namoro por causa de um passado que me dá náuseas, mas voltei. Fiquei louca! Esse ano ganhei um melhor amigo que de antes um amigo agora é um dos únicos homens da minha vida. Esse ano contei para meu pai que não me envolvo com homens e enfrentei a sua fúria. Esse ano vi meus amigos crescerem e amadurecerem. Minha irmã mais nova começando a trabalhar e ficando noiva. Estou vendo a menor começando a namorar. Esse ano chorei mais do que ano passado. Talvez tenha sido porque comecei o ano chorando e achando que ela não me amava como eu a amava. Engano meu, agora eu sei que ela também me ama tanto que agora teve que me deixar para não fazernos sofrer mais. Esse ano corri na faculdade para conseguir notas e deixar meu CR alto e eu consegui. Esse ano perdi o medo, ou pelo menos um pouco dele em falar em público. Esse ano fui à igreja, rezei terço. Esse ano eu saí dos 18 anos e aprendi a ver hora em relógio de ponteiro. Esse ano entrei para o curso de inglês. Esse ano deixei o blog de lado e de uma maneira rápida voltei a usá-lo novamente. Esse ano presenciei mais brigas. Esse ano tive brigas feias, desejos incalculáveis e perdões ditos todos os dias. Esse ano disse mais palavras feias e tive vergonha de ser quem eu sou. Esse ano abri mais a mente e percebi que existem preconceitos dos quais eu não posso lutar contra. Esse ano foi legalizado até o casamento gay ... Esse ano briguei menos com meu padrasto. Esse ano ela passou quase um mês inteirinho aqui em casa, como mulher e como amiga. Eu passei quase um mês na casa dela como amiga e como esposa. Esse ano passei a virada com ela e o próximo não a terei comigo. É, talvez esse ano tenha me ensinado muitas coisas, importantes ou não, pode a vida ter me ensinado. Ê vida! Aprendi a ganhar o amor e a perdê-lo entre minhas mãos. Tive recompensas mas tive decepções. Hoje, passarei o ano com esperanças. Não sei o que vem pela frente, espero que não seja o ano do fim do mundo mesmo, ainda tenho muitas coisas a fazer antes que o mundo acabe. Não sei o que! Não sei. Falando a verdade, eu ainda não parei para pensar em como vai ser meu ano, quais vão ser os meus objetivos e para o quê vou lutar. Quero lutar pelo meu amor, quero lutar pelos meus sonhos, isso eu sei. O resto não, o resto eu não sei. Não sei o que desejar. Amor, paz, fé (?) Talvez ... Espero não me sentir vazia. Queria ao menos começar o ano com um abraço ... mas nem isso vou ter. Queria começar o ano sendo menos sensível, mas de verdade, eu não serei. Não serei menos grudenta, nem menos emo, nem menos sensível, nem menos nada. Serei eu, só eu. Esse ano me assustei com coisas que eu fiz, esse ano tive menos fé ... Esse ano tive mais medo.
Hoje, te digo Adeus 2011, como eu faço sempre que o ano acaba. Hoje, te deixo em meu passado, guardado em mim. É triste, tão triste deixar você, mas me vou. Espero mesmo que o mundo não acabe agora ... Preciso resolver coisas pendentes que o destino deixou atrapalhadas e perdidas no caminho. Não vou pedir força porque não quero usá-la, não quero que as coisas sejam tão difíceis assim, mesmo com o sentimento alegre que tenho em me superar. Pretendo não ter tanto medo assim e conseguir superar muitas coisas. Pretendo não chorar tanto mesmo sabendo que vou chorar sempre, toda vez. Caramba! Não vou mudar tanto assim ... Espero apenas que eu consiga ter fé e compreensão. Menos medo, menos ciúmes, menos algumas coisas que eu ainda nem sei. Eu espero que esse novo ano traga mais segurança e mais realizações. Não sei ainda das promessas que vou fazer para esse fim de ano, sei que eu queria tê-la comigo hoje ... mas eu não vou.
Meu amor ... o que eu posso desejar para você? Queria é estar junto de ti para dizer tudo o que eu pretendia, mesmo voltando ou não, precisava agradecer por tudo o que você me deu esse ano, desde aquele primeiro dia em que eu prometi fazer dessa ano o nosso ano, só nosso. Desde o primeiro dia de 2011 em que eu disse que estava me entregando completamente para você. Agradecer por todos os momentos em que eu pude dormir e acordar do teu lado. Agradecer por todos os sorrisos e por todas as lágrimas que me fizeram amadurecer ainda mais. Agradecer pelos olhares, pelos beijos, pelos desejos e pela compreensão em conseguir ficar comigo mesmo com todos esses meus defeitos que você odeia. Agradecer por você ter me feito feliz esse tempo todo ... Hoje, eu espero que amanhã comece uma nova vida para nós duas, que tudo fique para trás e algo novo venha nos enlaçar novamente. Que esqueçamos essas brigas e essas palavras que nos magoaram porque nesse ano eu não pretendo perder você de novo. Que não esqueçamos esses momentos que nos fizeram amadurecer , mas que sejam lembranças de um passado que não virá a acontecer. Eu quero ser feliz contigo e eu quero você do meu lado, seja como for. Então, que esse novo ano traga planos e mais sonhos. Que esse ano que vai leve consigo toda essa insegurança e esse medo que nos fizeram deixar uma a outra. Que esse ano que venha traga nosso amor junto da nossa paixão novamente. Enfim, que esse ano que chega traga em nossos olhos a esperança de que tudo vai ficar bem. Esse ano não vou ter o seu abraço quando der meia noite e não vou ter você para chorar comigo dizendo que tudo vai ficar bem, mas ficarei aqui tendo a esperança de que vai acontecer e eu você. Por isso, Feliz ano novo meu amor, aí da onde você vai estar, eu estarei aqui pensando em você.

Ficou meio grandinho o post, afinal é o último do ano. Mas quero desejar tudo de bom para todos e todos os leitores. Muita muita paz, esperança e que esse universo sempre conspire a nosso favor.
E meu amor, eu te amo, para sempre s2

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

-

Como eu gosto do teu sorriso ingênuo e do teu olhar de mulher. Como eu sinto as tuas lágrimas em mim e meu destino no teu.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Talvez ...



Talvez eu nem queira ser como o padrão. Talvez eu nem queria apenas chamar atenção. Talvez eu só queira amar livremente. Talvez eu só queira lhe dar as mãos. Talvez eu só queira entendimento. Talvez eu só queira perdão. Talvez eu só queira que me entendam, sem preconceito com união. Talvez eu só queira caminhar sendo eu mesma. Talvez eu só queira ...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Naquela noite.

Eram duas amantes incontroláveis pelo desejo que transbordava o quarto. Nos minutos atrás as brigas ásperas contornando o amor e o silêncio arrancado em súbitos gritos por olhares desesperados. No presente a luz do dia amanhecendo cortava as frestas da janela com a escuridão das paredes negras do quarto. Uma das mãos encontrava a outra pedindo pelo desejo de se juntar ao par daquela que estava ao seu lado. Os corpos gritavam mas ninguém os ouvia. As horas passavam e o ponteiro do relógio ecoava entre as paredes fazendo com que percebessem que ia acabar ... para sempre, ou para um quase sempre. Talvez a força do universo tenha unido aqueles corpos ou talvez o desejo inacabado tenha sido mais forte do que a tristeza que rondava aqueles olhos. Naqueles olhos brilhavam amor, paixão, medo e indecisão. Naqueles olhos brilhavam desejos tão ocultos que nenhuma das duas podia se quer, perceber. Porém, acredito na força do pensamento e que o universo conspire. As mãos acariciavam o rosto da outra como da primeira vez e os corpos impulsionados se encontravam e se permitiam encontrar um ao outro. A respiração tão lenta encostava na outra durante o passar dos minutos e os lábios tão trémulos encontravam o espaço por onde a respiração vinha mais ofegante ... desesperada. E o adeus se transformou em até logo no momento em que os lábios se entrelaçavam e as lágrimas se cruzavam entre dor, amor, medo, indecisão... novamente. Os corpos gritavam e se transformavam em um. O beijo se transformava como nos de antes em que não havia drogas, cigarros, solidão, medo, pavor. O cheiro suave do perfume, o gosto doce da boca, o toque trémulo das mãos, o suor dos corpos, a magnitude das almas, o acalentar dos braços. Aquela noite o amor estava entre as duas ... Naquela noite tudo estava errado, tudo estava certo, tudo estava como sempre deveria estar.

Eu e você.

Não me possua em altitudes médias porque não gosto nenhum pouco de voar pela metade. Não me leve entre as grades da esperança porque não quero nenhum pouco viver de saudades cortadas. Não quero nenhum pouco apenas a metade de mim. Foram brigas simultâneas, verdades infundadas e gritos pavorosos. Foram machucados dentro e fora, foram choros desesperados e repulsas enganadas. Foram adeus ditos, silêncios cortados, dizeres acabados. Foram pensamentos enganados, desejos implorados, perdões entardecidos. Foram beijos trocados e paixões transbordadas. Foram corações desesperados e almas entrelaçadas. Apenas eu e você.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Mas eu ainda te amo.

Mi luna.

Esta noche iré contigo a mi luna. Esta noche estarás en mi piel por siempre. Te quiero, solo tu para quedarme aquí. Quiero mi corazón contigo, mi alma cerca de ti y tu color en mis ojos. Solo tu, quiero solo tu para mi cuerpo volar por el mundo. Para mi vida cambiar y vivir a tu lado. En tu cielo solo, en tu brillo amargo y alegre. Quiero que me lleves en tus recuerdos. Por siempre ... cerca de ti, solo ti. Para buscarme entre tu eternidad, en su camino, en su vida tan cerca de la gente pero tan sola de amor. Mi fe se fué pero mi corazón te lo doy. No quiero recordar a mi luna, no quiero quedarme aqui perdida. Llevame contigo ahora.

Leve-me minha lua.


Não vejo cores distantintas ou normais, ou coloridas ou amareladas. Vivo em sonhos, em pesadelos, em corrida com o destino que insiste em desviar meu caminho. Senhor, vivo em pesadelos diários agora. Não quero amor ... não mais amor. Nada mais de amor. Quero solidão diária, cigarros meio usados e vinhos empilharados em meu sangue. Não quero inocência nem criar asas. Quero outro cigarro! Quero outro espelho. Quero outras palavras de silêncio que me dirão o que fazer. Não quero mais braços, nem abraços. Não quero mais dor nem esperança nem restos de mim. Fui ... não quero ser mais. Que seja frio, que seja apenas sendo ... Você, minha grande lua pequena, não quero que me deixe nunca, se puder, leve-me contigo. Leve-me contigo entre o espeço decaído, entre o céu negro espalmado, entre sua solidão. Leve-me para as montanhas, para o preto e branco, para o verde desbotado. Leve-me para longe daqui ... para mais longe de mim. Leve-me para longe de mim, eu lhe imploro agora.

...

Que nada ... o amor nunca foi meu.

domingo, 18 de dezembro de 2011

[...]

Dentre toda essa dor de distância existe algo que ainda diz que nada disso é em vão.

Pesadelo!

Hoje não acordei muito bem, acho que fiquei presa em alguns pesadelos. Contudo, as horas não passam e não consigo acordar de verdade. Não sei se ainda estou dormindo [...] O céu está feio. As folhas das árvores continuam paradas. Não há sol nem entrelas, não há dia nem noite. Ouço o relógio do meu pulso pulsando com meu sangue. Ouço a chuva cair mesmo não estando chovendo. Talvez sejam lágrimas involuntárias que adoram me provocar. Como gostam de me provocar. Talvez sejam essas palavras em que estou me aterrorizando. Talvez naquelas palavras ditas que me matam todos os dias, dia após dia, minuto após minuto. Talvez seja a falta do teu abraço que nem sempre podia me dar ou a tua mão que nem sempre podia pegar. Talvez seja a dor de cada gesto pequeno teu que acaba comigo pouco a pouco ... Talvez seja esse amor tão grande que sei que você sente por mim (...) Talvez seja a fraqueza que fez com que nosso amor fosse menor do que a coragem. Talvez seja toda essa dor. Toda essa dor. Toda essa dor. Ou quem sabe a angústia de perceber estar te perdendo para sempre. Acordei com esse sentimento, talvez seja porque dormi com ele ontem. Comigo, com você. O que está acontecendo? Nem me reconheço mais. Nem te reconheço mais.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Sem título.

Estou vendo você ir embora a cada segundo. Estou vendo teus pés caminhando em sentido contrário ao meu. Estou vento teu destino longe ... longe. Acredito que meus pés não encontrem mais o chão e que meus olhos não vejam mais você. Menina, eu não queria que fosse embora mas você se foi. Criou asas e foi voar por algum lugar no qual nem sei o nome. Você foi e eu fiquei aqui. Minhas asas estão cortadas mas meus pés voam pelo universo procurando, buscando, criando expectativas que volte. E você? Você volta? Será que volta mesmo? Meus joelhos quebram ajoelhados em reza e em oração desesperada, mas não tenho fé. Meu coração chora de dor desesperado de amor, mas não tenho você. Estou perdida? Ou me achei? Não quero horas de relógio atrasado nem ponteiro agudo de um futuro mal acabado. Queria o tempo parado num segundo instantâneo preso em ti. Meu eu, meu sou, meu fui agarrado em teu ser. Minhas lágrimas penduradas e cristalizadas numa face que foi sua ... é, eu sempre fui tua. Me perdi entre teu corpo e teu cheiro que não lembro mais do meu e agora sinto teu adeus tão perto do até logo que fico desesperada entre medo e pavor. Fico perdida entre ilusão e realidade. Fico perdida entre mim e tão longe [...] você. Expectativas frustradas e sonhos quebrados fazem parte da minha rotina que segue entre loucuras e devaneios. Sigo entre pedras e tropeços, mas sei que a vida nos faz levantar de quedas. Será então que a vida nos faz levantar da morte? Nem sei que morte é. Nem sei que eu sou. Deus, não queria acreditar no amor. Queria acreditar na fé e não acreditar no amor e queria muito que fosse possível. Queria tantas coisas [...] Queria até voltar no dia em que te conheci, mas de verdade, não sei se mudaria alguma coisa. Estou confusa! Queria apenas não levantar por hoje e amanhã. Queria apenas a lua. Lua! Lua! Me ajude por favor. Estou desesperada. Minha amiga! Me ajude por favor, sei que você nunca vai me deixar. Queria me afundar em mim para esquecer você, mas que problema porque dentro de mim só existe você. Desculpe, não que seja problema existir só você aqui dentro, mas me perdi e me perco, não consigo mais me encontrar. Continuo desesperada mas acho que você não entende o desespero e sua decepção decepciona todo meus sentimentos que estão aqui sofrendo por você. Desculpe, mas você também não entende o quanto eu sofro todos os dias por ter deixado você ir embora.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Nossa história de amor.

http://www.youtube.com/watch?v=lQ95EoHbk9k&list=UUlT-xaf3VBZ0uLahRAt1eOA&feature=plcp

Nossa história está marcada em mim, mesmo que eu não te tenha mais.

Leve-me.

Senti a sua voz tão dentro de mim que lamentei milhares de vezes pelo que está acontecendo. Não sei a que se confunde a toda essa dor. O teto me engoliu e o chão me cuspiu. Me levou para longe, longe ... não quero que a noite chegue. Não quero ver a lua esta noite pois chorarei por você. Não quero olhar o céu esta noite pois morrerei por você. Não quero me olhar no espelho esta noite pois enchergarei você. Estou indo ... estou indo, vento. Estou indo, tempo. Estou indo, vida. Voltei, morte. Não quero ficar sozinha comigo. Leve-me!

domingo, 11 de dezembro de 2011

A luz que acende o olhar.

"A luz que acende o olhar vem das estrelas no meu coração, vem de uma força que me fez assim, vem das palavras, lembranças e flores regadas em mim. O tempo pode mudar, a chuva lava o que já passou, resta somente o que eu já vivi, resta somente o que ainda sou. A luz que acende o olhar, vem pelos cantos da imaginação, vem por caminhos que eu nunca passei, como se a vida soubesse de sonhos que eu nunca sonhei. Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho da alma, dos filhos da gente, de algum lugar só pra iluminar. A força vem de onde eu venho, de tudo que acende e a vida calada, me olha, e entende o que eu sou, tudo o que é maior vem do amor, vem do amor. A luz que acende o olhar, vem dos romances que viram poesia, vem quando quer, se quiser, se vier, vem pra acender e mostrar o amor que a gente não via. Vem como um passe de pura magia, como se eu visse e jurasse que há tempo já te conhecia. Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho da alma, dos filhos da gente, de algum lugar, só pra iluminar A força vem de onde eu venho, de tudo que acende e a vida calada me olha e entende o que eu sou. Tudo que é maior. Vem da luz que acende o olhar, vem das histórias que me adormeciam, vem do que a gente não consegue ver, vem e me acalma, me traz e me leva pra perto de você. E me leva mais pra perto de você."

Deborah Blando

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Sei que te amo.

Eu sei que te amo porque quando estou com você o mundo lá fora não existe. Sei que te amo porque quando estou do teu lado me amparo em sorrisos. Sei que te amo porque meu corpo treme ao te encostar. Sei que te amo porque não consigo parar de te olhar. Sei que te amo porque tenho ciúme quando te olham. Sei que te amo porque te ver sorrir ilumina os meus olhos. Sei que te amo porque meu coração acelera quando sinto teu cheiro. Sei que te amo porque fico em desespero. Sei que te amo porque dói não poder lhe dar a mão, ainda mais quando está longe do meu corpo, assim, mesmo tão perto. Sei que te amo porque perco o ar e fico horas e horas te olhando sem cansar. Sei que te amo porque dói não te ter. Sei que você é minha vida quando aqui me vejo morta sem poder ter você.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

+



Posso gritar?

Vá.

Não chore ... me dê as suas lágrimas. Sorria ... eu lhe entrego o meu sorriso. Viva ... eu lhe entrego a minha vida. Não sofra ... me dê teu sofrimento. Seja feliz ... lhe dou a minha felicidade. Vá! Meu amor te acompanha para sempre. Volte! Volte! Volte um dia!

Amor ...


Eu não sei mais o que pensar, em que agir, o que fazer. Não sei de mais nada. Sabe, eu implorei para que todas as forças que existem te tragam de volta para mim, e não adianta. Nossa! Ninguém sabe como eu me sinto agora. Dói tanto e não adianta só chorar. Aonde está a minha cabeça agora? Dói, machuca meu corpo que anda tão estremecido. Estou estremecida! Você acredita nisso? Eu posso sorrir, mas aqui, ninguém sabe o que vou sentir. Você sabe, não sabe? Queria que você voltasse, que segurasse a minha mão, que me chamasse de sua namorada. Mas você não pode, a vida não deixa. Queria que você sorrisse, que você vivesse. Queria você aqui! MEU DEUS! Eu queria você de volta. O que eu faço? Estou tão perdida ... sozinha. Descontrolada, louca. Já disse que queria gritar! Queria buscar você em casa e te levar para nossa e começar tudo de novo e ser feliz e ser forte e ser sua mulher. Nossa! Não tenho mais respiração, está contigo ... Não sei o que as horas fazem comigo, o que o tempo me leva, o que o vento toma de mim. Sei que não estou aguentando, que não estou conseguindo assim e sei que você também não está. Não queria que fosse assim e nem quero te perder para sempre. NÃO QUERO! Não vou deixar essa fraqueza levar o amor da minha vida para longe. O amor que conquistei com a minha vida, com a minha alma. O amor que eu levei comigo e levo todos os dias, as horas ... Não quero te deixar livre apenas por me sentir culpada. Preciso te deixar livre para que você volte livre ... feliz. EU PRECISO! Mas eu queria pegar na sua mão e tentar enfrentar isso ao seu lado. Ninguém sabe o quanto eu quero isso. Ninguém sabe! Me sinto tão morta ... tão fora de mim. Queria tanto você do meu lado. Queria tanto imaginar agora como será o próximo ano tendo você junto a mim. Queria tantas coisas, mas me tiraram você. Deus, talvez. O destino, quem sabe. Não sei, não sei mais de nada. Sei que quero você. Nossa! São as palavras mais fortes que eu posso te dizer: Eu te amo! Volta logo ... mas você foi embora. Mas eu ainda te amo. Mas eu ainda quero que você volte. Por favor, por favor. O que está acontecendo? O que? Eu nunca senti isso meu amor, nunca.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Estúpida.

Eu não queria me mostrar fraca. Queria ser forte. Não queria gritar, mas eu quero e não consigo. Não confio mais na vida. Não confio mais em mim. Não sei se posso confiar no amor. Estúpida liberdade. Estúpidos escritos. Estúpida vida. Estúpida-eu. Não sou forte, sou fraca. Pensei que pudesse ser a força para aguentar você e eu, mas não consigo mais. Eu não aguento mais não ser confiável. Queria que acreditasse em mim porque eu girei o mundo para tentar te fazer feliz, mas não fiz. Estúpida-eu. Não consegui, fui fracasso e nem lhe peço perdão. Não adiantaria porque agora não adianta mais. Estúpidas palavras essas que eu escrevo, mas nunca, nunca, foram para que eu aparecesse de alguma forma. Só queria ser livre de mim, um pouco. Queria amar demais mas fui egoísta demais. Estúpida, fraca, covarde! Te tirei a vida para dar a mim e percebo que é a sua hora de ser feliz sem mim. Eu nunca quis dizer adeus ... eu estou enlouquecendo, de verdade.

sábado, 3 de dezembro de 2011

(...)

Suas palavras me machucam ... me matam! Me perdoe, mas eu não sou tão forte assim.

Palavras.

Palavras de adeus doem mais que qualquer facada. Angústia, dor, medo, distância ... O que eu posso dizer agora depois de ter trancado a porta? Depois de ter trancado minha boca, minha voz ... meu sorriso. Estou tão aflita que não consigo abrir meus olhos. Não! Por favor, não faça isso comigo. Não posso mais sentir o sabor do meu sangue, dos meus pavores que seguro entre os dedos. Do teu retrato que não some do meu rosto. Não quero viver apenas de retratos ... Não posso gritar hoje. Que palavras são essas, meu deus? Não aguento, não aguento.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

-

Meu coração está apertado. Angustiado!
Meu deus, o que eu faço agora?

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Universo.


Estou acreditanto na força que o amor tem. Nas conexões com o destino, na linha da vida que o tempo costura em torno dessa paixão. Nas forças das estrelas e na benção que a lua sempre nos deu. Acredito na esperança, nos sonhos que teci, nos caminhos que trilhei. Acredito que o universo esteja conspirando. Acredito que o seu amor seja forte o suficiente para passar por cima dos sentimentos ruins e dos fantasmas que te assombram. Acredito no meu amor, naquele todo que eu sinto por você.