Visitantes.

terça-feira, 10 de março de 2015

Eterno amor.

Esta noite deleitarei-me em teus seios floris. Em teu perfume de mulher aprofundarei meus sentidos. Eres a única e és a guia deste meu sortudo e complexo caminho. Em teus braços adormecerei. Viajarei. (Re) viverei. Em contraponto com a dor, ajoelharei. Pedirei. Implorarei. Tudo pelo teu eterno amor. Porém, nestes verbos verbalizados num futuro distante detenho-me a costurar minha respiração. Pois, venha cá, quero saber do presente. E se o presente faz de ti meu presente nesta presente data, entrego-me com exatidão neste teus braços. Em teus olhos adormeço-me menina e desperto mulher. Pois, digo-lhe aqui, despida e nua de amores, eu te amarei pelo resto da minha vida. E, agora, ao olhar-me assim, inundada de desejos, quero que leia meus olhos e perceba, e sinta, e proclame. Quero que veja-me em ti. Em tua alma entrelaçada a minha. Neste escuro da noite quero que me beije. Quero que me aperte. Quero que me ame na calada e na gritaria da noite. Nesta escuridão, quero que a lua nos apadrinhe e nos ilumine e nos encha de suspiros perdidos. Nesta noite quero que leia meus lábios. Quero que esteja ao meu lado. Quero que encha de amor. Neste luar adormecido, quero que feche seus olhos e suspire entre meus lábios. Quero que proclame amor, respire amor, beba amor. Assim como eu respiro você. Assim como eu fecho os olhos pensando em você.  Então me diga: O que são lágrimas, meu amor? O que é esse choro, meu amor? O que são as despedidas, meu amor? Se esta noite eu secarei as suas lágrimas com a ponta dos meus dedos. Se esta noite eu acalmarei seus soluços com um beijo. Se amanhã eu voltarei para os seus braços? Então me diga: O que é a tristeza, meu amor? O que é a covardia? Se esta noite eu te darei sorrisos. Se esta noite eu me repousarei em teus braços. Se amanhã eu lutarei por você? Não fale nada, meu amor. Apenas me beije. Apenas me ame. Assim como eu respiro você. Assim como eu transpiro você. E, então, esta noite encoste a tua nuca em minha boca, deixe nossos olhos falarem e descreverem nosso amor. Pois é isto (...) nesta noite de verão nosso calor é movido à paixão e nossa alma é movida a amor.