Visitantes.

terça-feira, 16 de junho de 2015

Nossos mares e ares

Que as palavras sejam tão belas quanto esses suspiros que dou ao acordar com você ao meu lado. E que o canto seja tão entusiasmado quanto o beijo que eu vou lhe dar antes de dormir. Que os mares sejam tão acalentadores quanto o abraço que vou permitir te dar. E, nesta noite, que os ares sejam tão fortes quanto o amor que eu sinto por você. E, no entanto, quanto mais beijos eu lhe dar, mais serão os cantos dos pássaros para lhe acalmar. E, quanto mais forem as os ares para lhe tocar, mais serão os amores que eu vou lhe ofertar. E, nos tantos aditivos neste texto repleto de paixão, vou tocar-lhe as mãos e mostrar-lhe como o amor pode ser: Livre, tempestuoso e calmo, contraditório e apaixonante, assim, como eu sou por você. E, nestes versos intencionados e nada poematizados, trago-me aqui em proza e canto para ofertar-lhe meus sentidos apaixonantes. Pois, hoje, sou revestida de amor e sorrisos coloridos arremessados sobre o teu véu de alegria. Pois bem, sou teus mares e seus suspiros, sou teus ares e teu compromisso. Sou tua alma e tua guia e o nosso amor é brilhante, luz e poesia.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

-

Tenhamos certeza, bela flor
O nosso destino é criador.
Nós somos frutos do amor

Talvez o amor


Talvez você seja o infinito.
Mergulhado em tranquilidade,
E nos sejamos o caminho
Do amor, da esperança; e da
felicidade.

Talvez você seja o destino,
Criado e mal criado,
Transcrito de versos simples,
Cuidados pela humildade.

Talvez sejamos só nós,
o futuro da eternidade.
Revirado em riquezas,
livre da dor e da maldade.

Talvez sejamos só amor,
Reverenciado pela saudade;
Gotejada pelo tempo,
criadora da simplicidade.

Talvez seja a certeza,
Misturada pela sensatez,
Do querer eternizado,
pela tua boca; pelo
teu querer.